Entrevista com Ricardo Pacheco – Braz Cubas – 23º CIAED

Compartilhe esse post:

Em sua entrevista para o blog Ensino Privado, direto do 23º CIAED, Ricardo Pachego, Diretor Geral de EAD da Braz Cubas afirma que “a modalidade de educação à distância não é uma modalidade de menor qualidade” e que a tradicional instituição de ensino tem seu crescimento guiado pela qualidade no ensino. Confirma.

Transcrição:

Ensino Privado: – “Estamos aqui com Ricardo Pachego, Diretor Geral de EAD na Braz Cubas, que é uma instituição de ensino muito tradicional no mercado de educação brasileiro e que está há algum tempo no mercado de EAD. Ricardo, queria entender um pouco mais como foi essa virada de chave da Braz Cubas, instituição tradicional que tinha uma grande majoritariedade muito grande no presencial e migrou para o EAD, expandindo este negócio na área de educação, como foi essa experiência?”

Ricardo Pacheco: – “Boa tarde Felipe, muito obrigado pela oportunidade de falar sobre um tema que eu sou absolutamente apaixonado, que é a educação à distância. Por incrível que pareça foi mais simples do que pode parecer, a Braz Cubas, como você citou, é uma instituição tradicional, com mais de 70 anos trabalhando com ensino superior presencial, mas também já temos 10 anos de educação à distância, o que para o mercado de EAD nós não somos novatos. Lá atrás, eu não estava na Braz Cubas quando esta decisão foi tomada, mas o EAD já era discutido 15 anos atrás e em 2007 a Braz Cubas pôs em prática o seu planejamento de educação à distância. Hoje nós temos 40 polos espalhados por nove estados do Brasil, quase 09 mil alunos e temos um plano de expansão que é um pouco diferente do que a gente vê no mercado, quando se fala de grandes consolidadores, grandes marcas, porque nós temos um plano de expansão que está muito baseado na qualidade da operação e na parceria. Nosso objetivo para 2018 é fecharmos com 65 polos, estamos correndo em direção a este resultado. É uma oportunidade que nós temos, aproveitando o novo marco regulatório que mudou muito a regra do jogo, do negócio de educação à distância, que foi o decreto 9077, que deu às instituições de ensino já credenciadas liberdade. Então esta liberdade é muito bem-vinda pelo setor, mas ela também vem acompanhada de uma carga de responsabilidade para que o setor não perca a qualidade de operação.”

Ensino Privado: – “Esta seria a segunda pergunta, pela tradição da Braz Cubas, ela possui uma carga de qualidade associada a sua marca por um longo período de tempo. E a transferência para o EAD, como é o desafio operacional de entregar uma educação de qualidade também no ensino à distância?”

Ricardo Pacheco: – “No início, de fato, foi um pouco mais complicado, mas hoje a gente já conseguiu integrar as duas modalidades de ensino de forma que elas se complementam e não concorram entre si. As matrizes curriculares da Braz Cubas já vêm há alguns anos sendo unificadas para serem entregues nas duas modalidades. Este foi um primeiro passo tomado lá atrás e hoje continuamos avançando. O outro aspecto é que o próprio mercado precisa entender que a modalidade de educação à distância não é uma modalidade de menor qualidade. Então para que o mercado entenda esta mensagem de forma clara é preciso comprovar nos polos de educação à distância que aquilo que estamos falando acontece na prática e não é apenas um discurso vazio. Então, o nosso modelo mental de expansão obrigatoriamente passa manutenção da qualidade da operação e do modelo de ensino da Braz Cubas. Nós estamos muito confortáveis com o ritmo do nosso modelo de expansão por ele estar alinhado com esta diretriz institucional de preservação da qualidade, para nós isto é levado muito a sério.

Assista a entrevista:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.