Artigo científico: guia completo com tudo o que você precisa saber

Compartilhe esse post:

O artigo científico como modelo de trabalho é muito difundido na academia.

Seja como forma de avaliar estudantes, seja como forma de medir a produtividade, especialmente de bolsistas.

Aprender a escrever artigos científicos ainda na faculdade pode te ajudar a alcançar boas notas em processos seletivos em mestrado e doutorado, por exemplo.

Além de aumentar a sua chance de vagas em bolsas, sejam elas públicas ou privadas, de acordo com o edital.

Entretanto, não há apenas um modelo de artigos acadêmicos, por isso, cada formato atende à objetivos e metodologias específicas.

Ademais, nem todas as regras para artigos científicos vêm da ABNT.

Ainda que a ABNT possua uma série de normas, nem todas são obrigatórias. Assim, é importante que os editais de revistas ou congressos sejam sempre consultados.

O que é um artigo científico?

A primeira resposta que precisamos serve para entender o que é um artigo científico.

De forma direta, um artigo é uma apresentação sintética de resultados de investigações ou estudos realizados sobre um problema específico.

Deste modo, o objetivo fundamental de um artigo é o de ser um meio rápido e sucinto de divulgar e publicizar uma questão investigada, o referencial teórico utilizado, a metodologia empregada e os resultados alcançados.

Além disso, também pode integrar as conclusões de um artigo as principais
dificuldades encontradas no processo de investigação ou na análise de uma questão.

Portanto, os objetos de artigos científicos podem ser os mais variados diversos, desde relatos de experiência até construções completamente teóricas.

Estrutura de um artigo científico

Elementos de um artigo científico

Um artigo científico costuma possuir a seguinte estrutura:

1.Título

2. Nome dos autores

3. Epígrafe (facultativa)

4. Resumo e Abstract

5. Palavras-chave;

6. Keyword

7. Conteúdo (Introdução, desenvolvimento textual e conclusão),

8. Referências.

Como criar um bom título

Inicialmente, um bom título deve informar de forma clara a que se destina o artigo.

Assim, deve compreender conceitos-chave que do tema, podendo estar, em nota de rodapé, a finalidade do mesmo.

Por exemplo: “Artigo científico apresentado para a matéria X”, ou evento Y.

Como escrever um bom resumo?

Embora o resumo seja um texto curto, ele tem alguns detalhes em sua construção.

Isto porquê, muitas vezes, quanto menor o espaço de escrita, mais difícil aglutinar todas as ideias necessárias.

Portanto, o resumo é um texto, com uma quantidade predeterminada de palavras, onde se expõe o objetivo do artigo, a metodologia utilizada para solucionar o problema e os resultados alcançados.

O ideal é que, com a simples leitura do resumo, a pessoa que está lendo saiba identificar os pontos-chave do seu trabalho.

Porém, cuidado para não se empolgar muito e acabar escrevendo uma introdução!

Introdução

A introdução, por sua vez, tem o objetivo de situar o leitor no contexto do tema pesquisado, oferecendo uma visão global do estudo realizado.

Além de esclarecer as delimitações estabelecidas na abordagem do assunto, os objetivos e as justificativas.

Ademais, deve-se destacar a Metodologia utilizada no trabalho.

A intenção é que a pessoa que está lendo consiga identificar o que você trabalhou, porque e como.

Desenvolvimento e resultados

O desenvolvimento do artigo é toda a parte que objetiva discorrer sobre o tema.

O desenvolvimento costuma ser subdivido em seções, conforme a necessidade (1., 2., 3).

Aqui, deve-se fazer uma exposição sobre as teorias necessárias para entender e esclarecer o problema.

Neste aspecto, a revisão de literatura visa desenvolver a respeito das contribuições teóricas sobre respeito do assunto abordado.

Neste sentido, é importante expor os argumentos de forma explicativa ou demonstrativa, demonstrando conhecimento da literatura básica e do assunto abordado.

No caso de pesquisa descritiva, devem-se apresentar os resultados desenvolvidos na coleta dos dados por meio das entrevistas, observações, questionários, entre outras técnicas.

Conclusão

Ao final, devem ser apresentadas as conclusões e as descobertas da pesquisa, de forma clara e objetiva.

Além de retomar algumas deduções extraídas dos resultados ou apontadas ao longo da discussão.

Assim, deve-se relacionar diversas ideias e argumentos em forma de síntese dos principais resultados, com comentários adicionais seus e as contribuições trazidas pela pesquisa.

Tenha em mente que a conclusão é um fechamento, onde não se deve inserir novos dados e informações que já não tenham sido apresentados anteriormente.

Referências bibliográficas

Ao final, não se pode esquecer a lista de referências bibliográficas.

Que são um conjunto de elementos para a identificação, no todo ou em parte, de documentos impressos ou registrados em diferentes
tipos de materiais, utilizados no decorrer do trabalho.

Veja alguns exemplos:

referências bibliográfica nas normas ABNT

Artigo acadêmico X artigo científico

Todos sabem que os artigos científicos e os acadêmicos não são exatamente a mesma coisa. Mas qual a diferença entre eles?

A maior dica está no nome. Os artigos acadêmicos são aqueles que têm valor para a academia, como chamamos a comunidade de estudiosos das Universidades. Um dos tipos de trabalho acadêmico são os artigos científicos.

Além dos artigos científicos, também são artigos acadêmicos os artigos de revisão e os artigos originais.

Os artigos científicos são aqueles que seguem um protocolo específico e restrito, além de respeitar o método científico ao buscar conclusões em respostas.

Eles são responsáveis pela maior parte da criação de conhecimento e tecnologia, ainda que sejam muito focados em repetições de processos e adaptações de ideias de outros.

Os artigos de revisão são aqueles que têm por função provar ou desacreditar o que foi originalmente descrito em um artigo de outro tipo.

Em geral, é um relatório de uma repetição da mesma experiência realizada anteriormente, de forma a testar se os resultados serão os mesmos.

Os artigos originais são aqueles que demonstram temas e abordagens inéditos, explorando e expandindo as fronteiras do conhecimento humano. Por serem tão importantes, são encarados com absoluto ceticismo.

O método mais comum é a descrição de um caso que demonstra uma nova teoria ou o debate sobre uma ideia inédita.

Outros gêneros de artigos científicos

Além dos três tipos citados acima, que são amplamente aceitos como artigos acadêmicos, existem alguns outros gêneros, considerados menos relevantes.

Os relatórios curtos são pequenos textos que descrevem uma informação observada por um pesquisador ou grupo de pesquisa. Que descreve algo que eles acreditam ser interessante para outros acadêmicos fazerem uso.

Em geral, esses relatórios são “restos” de informação que não foram utilizados pelos pesquisadores nos artigos científicos.

Assim, são publicadas descrições dos dados e fenômenos observados sem a necessidade de um contexto.

Outro tipo de artigo, mais comum na medicina que em outras áreas, é o Estudo de Caso.

Nele, o pesquisador descreve uma ocorrência incomum, alertando os demais estudiosos para a possibilidade de repetição do fenômeno e trazendo atenção para o aprofundamento do estudo.

Por fim, temos a Metodologia, onde o pesquisador descreve um novo método experimental, permitindo que outros possam fazer uso do mesmo tipo de técnica.

Esse tipo de artigo é muito comum na psicologia, onde os cientistas têm de constantemente inovar para conseguirem comprovar suas teorias.

A monografia pode ser um artigo científico?

Ao contrário do que muitos pensam, o termo monografia não é sinônimo a artigo científico.

Enquanto o artigo científico tem compromisso com a obtenção de uma resposta, a monografia é uma dissertação sobre um recorte específico de uma arte, ciência ou assunto.

Sua obrigação é meramente descritiva, ainda que se exija academicamente que se conclua algo.

Essa conclusão, entretanto, não precisa ser um pensamento inovador, apenas uma demonstração de onde se encontram os pontos discutidos.

Dessa forma, a monografia se qualifica como uma boa modalidade de texto para o TCC, pois tem menos obrigações que os demais trabalhos acadêmicos.

Formatação automática de artigos científicos

Para realizar qualquer trabalho com tranquilidade, você pode precisar de uma ferramenta como o Mettzer, um editor de textos especializado em artigos científicos.

Ele conta com ferramentas que facilitam a administração de referências, a aplicação da formatação segundo as normas ABNT e a comunicação entre autores, co-autores e orientadores.

Quer fazer uma experiência gratuita com o Mettzer? Então não perca tempo e se cadastre clicando no link abaixo.

Resumo
Artigo
Conheça os principais tipos de Artigos Científicos e acadêmicos
Descrição
Você sabia que existem vários tipos de classificação para os artigos acadêmicos? E que nem todos os artigos científicos são iguais? Calma, não é tão complicado como parece. Continue lendo, pois vamos te explicar como fazer para entender as diferenças.
Autor
Publicador
Mettzer

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.