O TCC é muitas vezes encarado como o bicho-papão para muitos graduandos nas fases finais de seus cursos. É aquele trabalho grande que exige uma boa pesquisa e um tempo enorme para tomar forma. Ele possui várias etapas que vão desde a escolha do tema, até a formatação e impressão nos moldes corretos. O assunto parece piorar ainda mais quando é preciso incluir fórmulas e equações no trabalho.

Embora todas essas regras e normas pareçam um bicho de sete cabeças, com a informação correta a aplicação das normas da ABNT vai se tornando cada vez mais tranquila e vai ser ainda mais fácil de assimilar e aplicar sempre as regras.

Quem pensa que essa parte matemática do trabalho é restrita apenas aos cursos de exatas se surpreende quando percebe que os números e fórmulas estão em praticamente todo TCC e trabalho acadêmico que envolve assuntos de pesquisa e equações.

Como incluir fórmulas e equações no seu TCC

Números são o que dão base a qualquer teoria ou problema levantado e auxiliam o pesquisador – isso mesmo caro estudante, você também é um pesquisador –  a embasar e provar o que o estudo pretende apontar.        

Sem números, cálculos e fórmulas, o “provavelmente,” o “podemos verificar que” ficam apenas como teorias vagas e sem tanto embasamento, colocando em risco a credibilidade do projeto apresentado.

Já termos como o “de acordo com os dados apresentados” ou “através da pesquisa é possível concluir que” dão força e coerência ao estudo e, de certa forma, provam que o que foi apresentado possui embasamento e pode ser provado.

As equações e fórmulas parametrizam os dados e esses cruzamentos nada mais são do que dados científicos comprovados. É como quantificar algo que parece difícil de mostrar em dados e números.

A ABNT e suas regras numéricas

A ABNT nada mais é do que do que a Associação Brasileira de Normas Técnicas que zela e instrui a padronização de vários tipos de trabalhos e processos, incluindo o seu amado TCC.   

Muitas pessoas podem estar craques no assunto quanto ao espaçamento, fonte, referências, confecção de capa e folha de rosto, mas quando se deparam com fórmulas e equações o assunto fica mais complicado. E não é de hoje que números parecem mais complicados que palavras para grande parte dos universitários.

As fórmulas e contas matemáticas servem para ilustrar como os resultados foram alcançados. Como elas têm a função de exemplificar, o autor pode optar por destacar a equação com negrito ou itálico.

Elas podem aparecer ao longo do texto – mesmo que alguns símbolos ocupem um espaço maior da linha – ou também destacadas no parágrafo separadamente, mas sempre centralizadas.

Você pode aplicar a fórmula da distância entre dois pontos dessa forma, ao longo do texto, sem quebrar a linha: AB=(x1−x2)2+(y1−y2)2 ou se preferir, centralizar a fórmula, como a do ponto médio:

M(2+42,6−22)⇔M(3,2)

Mesmo os padrões mais básicos de operações matemáticas, como 1 X 1 = 1, devem seguir esse padrão recomendado pela ABNT. Caso você descubra que a fórmula para ser feliz é: 1 + 1 = 2. É nesse padrão que você contará para todo o mundo a descoberta do século em sua tese.

Quando incluir fórmulas e equações

Alguns universitários e cursos tendem a ter mais contato com as normas da ABNT desde o começo da vida acadêmica, seja por afinidade com a área através de iniciação científica, seja pelo perfil da própria faculdade ou curso.     

Muitas aplicam as regras ao longo da jornada acadêmica em trabalhos pontuais ou no início da carreira acadêmica-científica. Mas é comum que a grande maioria de universitários se deparem com essas regras apenas na etapa final do curso, o TCC.

Além das áreas de exatas, o pessoal de biológicas, saúde, geografia, jornalismo e estudos de comportamento humano como psicologia, sociologia e antropologia também se deparam com as equações, cálculos e fórmulas em seus Trabalhos Finais.

Por isso, caso você ainda não tenha passado por esse momento na sua jornada acadêmica, há uma grande chance de você se ver envolvidos com cálculos e fórmulas no momento mais desgastante da faculdade.   

Mas muita calma nessa hora, pois as regras são bastante simples e até mais fáceis de assimilar do que algumas outras regras da ABNT, como citação e tabelas.

Quando usar as normas da ABNT

As normas da ABNT não são restritas apenas ao TCC. Artigos, monografias, teses, dissertações, código de barras e manuais são alguns exemplos onde as regras devem ser aplicadas.

Parece que é para complicar, mas na verdade é para facilitar e padronizar o conteúdo produzido e facilitar o intercâmbio de ideias.

É bacana pensar que um trabalho acadêmico pode possuir uma relevância internacional e ser base de discussão sobre o tema em outros países. Por isso a importância de se manter um padrão claro e que facilita a leitura e a rápida localização das informações mais relevantes.

Sem normas e regras, várias coisas não funcionam em nossa sociedade, como o trânsito, por exemplo. Então é válido tentar ver as regras e normas como uma aliada e não uma inimiga.

O mesmo pensamento serve para os cálculos e fórmulas inserido em seus trabalhos acadêmicos. É cada vez mais comum encontrar métodos matemáticos que servem como indicadores para matérias que são difíceis de quantificar, como por exemplo, a eficiência da comunicação.

Vale ressaltar que a aplicação correta das normas da ABNT é um dos critérios de correção de um projeto de pesquisa ou TCC, por isso estar atento às normas e sua aplicação exata é fundamental para evitar desconto de pontos e garantir aquele 10 tão sonhado.

Afinal, ninguém merece estudar e pesquisar tanto para perder pontos por causa da ABNT, não é mesmo?

Se você gostou desse post, tem uma vida corrida e sempre busca por soluções rápidas e eficientes para seus trabalhos acadêmicos, e precisa daquela ajuda na formatação, o Mettzer é ideal para você. Junte-se aos mais de 100 mil estudantes que já usaram nossos serviços e faça seu cadastro agora!