Texto narrativo: o que é, exemplos e dicas de como fazer

compartilhe

Antes de começar a escrever um texto narrativo, aprenda quais são os principais elementos narrativos. Isso vai te ajudar (e muito!) no percurso e no resultado final.


Sumário

  1. O que é um texto narrativo?
  2. Principais elementos de um texto narrativo
  3. Tipos de pessoa narradora
  4. Tipos de discurso
  5. Como fazer um texto narrativo?
  6. A Mettzer também pode ajudar na sua produtividade

Se você chegou até aqui, imagino que você esteja precisando escrever um texto narrativo. Certo?

Eu não adivinhei por acaso. Os professores e as bancas solicitam esse tipo de texto com muuuita frequência. Seja em disciplinas da graduação, nos vestibulares ou até em concursos públicos.

Inclusive, junto ao dissertativo, é o tipo de texto que mais aparece em vestibulares e concursos.

Isso já é suficiente para entender a importância de saber escrever um bom texto dissertativo. Já viu que não dá para ficar por fora desse assunto né?

Vou te ajudar nisso. Esse conteúdo é para te explicar o que é e como fazer um bom texto dissertativo. Vamos lá? 🙂

O que é um texto narrativo?

O texto narrativo é um tipo de texto que conta as ações de personagens em um tempo e espaço específico.

Assim como o próprio nome sugere, o objetivo principal do texto narrativo é narrar alguns fatos e acontecimentos. É importante ter em mente que essa história pode ser real ou fictícia.

Nesse ponto, a principal característica do texto narrativo é a presença de uma pessoa narradora. Ou seja, a pessoa que conta a história.

Alguns exemplos de textos narrativos são o romance, o conto, a crônica e as fábulas. Afinal, todos são histórias de personagens que agem em um tempo e espaço específico.

modelo de trabalho academico - baner

Principais elementos narrativos

Sendo assim, de forma geral, o texto narrativo compreende 5 elementos básicos:

  • Espaço
  • Tempo
  • Personagem
  • Enredo
  • Pessoa narradora (que é a voz da narrativa, quem conta a história)

É fundamental entender o que significa cada um desses elementos para compreender o texto narrativo em si. Então bora?

Espaço

O espaço é o local em que as ações das personagens acontecem.

É possível entender esse espaço como um local físico (no colégio, em Florianópolis, na igreja), um ambiente social (características do ambiente social) e psicológico (vivências, pensamentos e sentimentos).

Tempo

O tempo se refere à duração e ao desenrolar dos fatos. Ele pode ser cronológico ou psicológico.

O tempo cronológico indica a sucessão dos fatos no decorrer das horas, dias, anos… e por aí vai.

O tempo psicológico remete às lembranças e as vivências das personagens. É, portanto, um tempo subjetivo.

Personagem

As personagens são todas as pessoas que praticam ações, diretas ou indiretas, na história narrativa.

A pessoa narradora pode caracterizar as personagens através de qualidade físicas e psicológicas. A caracterização acontece de forma direta (quando a pessoa narradora descreve a personagem) ou de modo indireto (através da descrição de ações e de comportamentos).

Existem quatro tipos de personagens:

  • Protagonista: é uma personagem principal que, no desenrolar dos fatos, deseja, tenta e consegue coisas
  • Antagonista: é uma personagem que desempenha papel essencial no enredo mas que dificulta e atrapalha
  • Coadjuvantes: personagens secundários que auxiliam as personagens principais
  • Figurantes: personagens que apenas auxiliam na caracterização do espaço social

Enredo

O enredo é a história em si. Quer dizer, os acontecimentos que acontecem com as personagens naqueles tempos e espaços.

Ou seja: é o que a pessoa narradora conta.

Pessoa narradora

A pessoa narradora é quem conta a história.

Tipos de pessoa narradora

Existem três tipos de pessoas narradoras:

Narrador personagem

A pessoa narradora conta a história em primeira pessoa, a partir do seu ponto de vista. Ou seja, a pessoa narradora é uma das personagens e participa das ações do enredo.

Nesse caso, todo texto fica mais subjetivo e limitado. Afinal de contas, a pessoa narradora só conhece seus próprios pensamentos e as ações das quais faz parte.

Narrador observador

O narrador observador narra todos os fatos em terceira pessoa e mantém um posicionamento imparcial e objetivo. Nesse caso, o narrador conhece todos os fatos, mas não participa do enredo.

Sendo assim, a narrativa encontra limites na subjetividades das personagens: o narrador conhece os fatos, mas não os pensamentos e os sentimentos das personagens.

Narrador onisciente

O narrador onisciente conta a história em primeira e terceira pessoa. Quer dizer, em alguns momentos da história, a voz da pessoa narradora se confunde com a voz das personagens.

Nesse tipo, os conhecimentos da pessoa narradora não têm limites: ela conhece tanto todos os fatos, como a intimidade das personagens.

Tipos de discurso narrativo

A partir disso, existem também três tipos de discurso

  • Discurso direto: em que as personagens falam
  • Discurso indireto: a pessoa narradora interfere na fala das personagens (em terceira pessoa)
  • Discurso indireto livre: é a mistura entre o discurso indireto com o direto

Como fazer um texto narrativo?

Agora que você já sabe o que é e quais as características de um texto narrativo, mãos à obra.

Aqui estão 11 dicas para escrever um bom texto:

1. Estrutura do texto narrativo

E estrutura é bastante importante para esse tipo de texto. Isso porque os elementos da estrutura constroem um pensamento lógico. Fica muito mais simples escrever uma narrativa coerente e interessante a partir dela.

Nesse ponto, é fundamental entender que cada elemento tem uma função específica dentro da estrutura do texto.

Então, mais importante do que a delimitação de cada elemento, é a distribuição das informações neles. Quer dizer, os conteúdos devem estar nos seus devidos lugares 🙂

Introdução

A introdução do texto narrativo deve compreender a situação inicial da história. É por isso que é possível chamá-la de apresentação.

Afinal de contas, é nessa parte em que a pessoa narradora apresenta os elementos narrativos: espaço, tempo, personagens, enredo e pessoa narradora.

Ou seja: é o momento em que as pessoas leitoras ficam sabendo quem, quando e onde.

Desenvolvimento

No desenvolvimento da narrativa é a parte do texto em que acontecem os conflitos. Quer dizer, é a parte do enredo em que os acontecimentos desequilibram a situação inicial da história.

É por isso que, no desenvolvimento, acontece o clímax da história: o momento mais tenso e mais emocionante.

Conclusão

Por fim, a conclusão é a parte do desfecho do enredo. É nesse momento em que se resolvem os conflitos, de forma positiva ou negativa.

Uma boa conclusão é suficiente para evidenciar a relação entre os diferentes tipos de acontecimentos do enredo e apresentar as consequências finais.

2. Analise a proposta com calma

Entender o enunciado é fundamental para escrever um bom texto. Dobre a atenção quando for ler sobre o tema e o tipo de redação.

3. Defina um tipo de pessoa narradora

Logo no começo, você precisa escolher entre um tipo de pessoa narradora. Lembre-se que a narrativa pode ser, inclusive, em primeira e terceira pessoa. No entanto, você precisa deixar isso claro na apresentação da história.

Depois disso, mantenha o estilo e sustente o enredo até o final.

4. O que, quem, como, onde e por que?

Responder a essas perguntas pode ajudar a estruturar o texto e deixar as informações lineares, cronológicas e com uma lógica narrativa.

Essas perguntas são a base de qualquer texto jornalístico, já que guiam a pessoa leitora até os itens essenciais de compreensão do texto.

5. Escreva com clareza e assertividade

Eu sei que você precisará respeitar um número específico de linhas ou de páginas. Busque escrevê-las a partir de conteúdos relevantes para a narrativa.

Você deve ser escrever de forma clara, para que todas as pessoas compreendam o que você escreveu. Tente não encher linguiça 🙂

6. Tenha atenção à língua portuguesa

De nada adianta você ter uma narrativa relevantes, mas cometer erros grotescos de português.

A atenção à gramática é fundamental para que você escreva um bom texto.

Uma dica é: se você tiver dúvidas sobre como escrever uma palavra, por exemplo, e não for possível consultar, não arrisque. Pense em sinônimos dos quais você tem certeza da grafia. 

7. Não esqueça do título do seu texto

Em hipótese alguma, escreve de definir um título para seu texto. Ele deve ser feito por último, mas é fundamental que seja criativo e objetivo. 

Um texto narrativo sem um título é como um livro sem uma capa.

8. Faça uma revisão

A revisão é fundamental para corrigir os erros de português e de digitação.

Mas não é só isso. Quando você lê o texto pela segunda vez, fica mais fácil identificar problemas na estrutura e na narrativa.

9. Cuidado com as referências

Sempre que você usar a ideia de outra pessoa no seu texto, tome cuidado em referenciá-las. Mesmo em um texto narrativo, você não pode correr o risco de cometer plágio.

Além disso, sempre que precisar de uma informação verídica, cuidado com referências desatualizadas ou incertas. Se não tiver certeza, é melhor não escrever a informação no texto.

10. Desenvolva suas referências

Bom, os textos narrativos podem exigir uma dose extra de criatividade. Por isso, estruture o seu processo criativo.

Se você precisar criar personagens, por exemplo, para escrever uma narrativa fictícia, você precisa de muitas referências para caracterizá-las.

Busque referências em vários lugares: filmes, séries, livros, revistas e jornais. Consuma e preste atenção em outros textos narrativos. Eles podem te auxiliar no que você deve (ou no que não deve) fazer.

Você deve, inclusive, buscar referências de áreas complementares às tuas. Faça correlações para amplificar seu olhar. Investigue um objeto por diversos pontos diferentes.

Consuma conteúdos que vão expandir sua base de conhecimentos e podem virar referência a qualquer momento, sempre que você precisar de ideias novas.

A Mettzer também pode ajudar na sua produtividade

Não é só essas dicas que podem te ajudar a escrever um texto dissertativo. A Mettzer também é uma ótima aliada de estudantes.

Isso porque, independentemente do tipo de trabalho – seja um TCC, uma monografiadissertação e até tese – e da área do conhecimento, você deve respeitar as normas da ABNT e normas APA.

Se você seguir as regras, seu trabalho vai ficar pronto pra publicar. Mas o tanto de trabalho que dá né?

A boa notícia é que você não precisa passar por isso. Use a tecnologia a seu favor: nós podemos te ajudar 🙂

O Mettzer é o melhor editor de texto do mercado, que formata de forma automatizada qualquer trabalho nas normas ABNT: desde a capa até às referências bibliográficas.

Inclusive, você pode começar seu texto a partir de um modelo de trabalho de aula. Incrível né?

Assim, você ganha tempo e tranquilidade e pode se dedicar exclusivamente ao que importa, que é o conteúdo do seu texto.

Se interessou? Você pode fazer um teste gratuito por 7 dias.

Nem precisa cadastrar o cartão para fazer o teste 🙂

banner editor - rodape

Perguntas frequentes

O que é texto narrativo?

Um texto narrativo é uma forma de expressão que conta uma história, geralmente envolvendo personagens, eventos e uma sequência temporal.

Como fazer um texto narrativo?

Para criar um texto narrativo, desenvolva personagens envolventes, estabeleça um enredo com início, meio e fim, e utilize uma narrativa coesa e fluente.

Como identificar um texto narrativo?

Identifique um texto narrativo pela presença de uma história que envolve personagens, cenários e uma progressão temporal.

compartilhe

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Teste agora nosso editor que formata trabalhos nas Normas da ABNT e APA

Modelos customizáveis de acordo com sua universidade