Tudo sobre o Enem: de informações importantes até dicas para fazer a prova

compartilhe

Tudo que você precisa saber sobre a prova do Enem: de informações importantes até dicas de como estudar e fazer a prova.


Hoje em dia o Enem é a prova mais importante para estudantes do Brasil.

Afinal de contas, ele é a principal forma de entrar em universidades públicas e privadas e de conseguir bolsas de estudo.

Se você vai tentar uma vaga em universidade, precisa ficar por dentro de todas as informações sobre esse exame.

Fiz esse post para te ajudar. Ele é um guia completo com tudo que você precisa saber sobre o Enem: de informações importantes sobre a prova até dicas para estudar.

Vamos lá? 🙂

O que é Enem?

Atualmente, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é a principal forma de ingresso nas faculdades do Brasil e uma das maiores provas aplicadas no pais.

Isso significa que, em muitos casos, ele substitui o vestibular como porta de entrada para a graduação.

Mas nem sempre foi assim. Antes, o Enem não era um meio de entrar no ensino superior. Olha só como o exame se desenvolveu.

Mas antes, vamos saber como chegou até aqui

A primeira edição do Enem foi em 1998. Na época, o principal objetivo era avaliar os conhecimentos de estudantes do Ensino Médio.

Em 2004 é que passou a servir como uma forma de ingressar em faculdades. No entanto, apenas em 2010, a partir do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é que o Enem passou a ser mais importante do que vestibulares.

Em decorrência da pandemia do Covid-19, em 2020, o Ministério da Educação (MEC) desenvolveu uma nova versão do exame: o Enem Digital.

Nesse novo formato, as provas objetivas são feitas de forma virtual. A redação, no entanto, continuou de forma presencial.

Afinal, para quê serve o Enem?

Quer dizer, atualmente, o Enem é uma das provas mais importantes para o ensino superior do Brasil.

Afinal de contas, tem 5 funções importantes dentro do sistema de ensino do país:

  • É uma forma de ingresso em universidades públicas, através do Sisu;
  • Faz parte do processo seletivo para aquisição de financiamento estudantil (FIES);
  • Oferece oportunidades de bolsas parciais e integrais em instituições de ensino privadas pelo Programa Universidade para todos (Prouni);
  • Também fornece possiblidade de bolsas parciais e integrais em cursos técnicos, através do Sisutec;
  • É uma forma de avaliar conhecimentos de estudantes do Ensino Médio e calcular indicadores educacionais.

É possível pegar o diploma do Ensino Médio com Enem?

Não. Até 2016, era possível obter o diploma do Ensino Médio através da prova do Enem. No entanto, a partir da edição de 2017, o exame passou a não ter mais essa finalidade.

Então, todas as pessoas que precisam pegar o diploma do Ensino Médio devem fazer a prova do Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

modelo de trabalho academico - baner

Informações importantes sobre a prova do Enem

Antes de começar a se preparar para a prova, é importante ficar por dentro de todo procedimento de inscrição.

Aqui estão as dúvidas mais frequentes sobre esse assunto:

Quem pode fazer a prova do Enem?

Bom, de forma oficial, a prova do Enem se destina às pessoas que já concluíram o ensino médio ou estão prestes a concluir.

Nesse contexto, pode-se fazer a prova como uma forma de ingressar no ensino superior. Isso pode acontecer, como você já sabe, através do Sisu ou do Prouni.

No entanto, é comum que outros estudantes também façam a prova do Enem, como uma forma de treinar e se acostumar com o exame.

Como se inscrever no Enem?

Agora que você já sabe que todas as pessoas podem fazer a prova – seja oficialmente ou só para treinar, precisa saber como fazer para se inscrever.

Vamos lá. É bem simples e demora poucos minutos. Todo processo é online.

Você só precisa ter atenção às datas do período de inscrição. Você pode encontrá-las no edital no Portal do Inep ou no aplicativo oficial do Enem.

Qual é o valor da taxa de inscrição?

A taxa de inscrição do Enem é de R$ 85,00 e deve ser paga até a data estipulada no calendário do edital.

Ela é um pré-requisito obrigatório para realizar a prova. Com exceção das pessoas que têm isenção da taxa, a falta do pagamento leva ao indeferimento da inscrição.

Ou seja, nesses casos, a inscrição vai ser cancelada e a pessoa não poderá fazer a prova.

Inclusive, essas são as hipóteses de isenção da taxa de inscrição:

  1. Estar no último ano do Ensino Médio de escola Pública. Isso garante isenção automática da taxa de inscrição.
  2. Ser de escola pública ou bolsista de escola particular com renda mensal de até 1,5 salário mínimo por pessoa da família.
  3. Estar inscrito no CadÚnico do Governo Federal, que fornece auxílio às pessoas com renda de até 0,5 salário mínimo por pessoa ou renda total de até 3 salários mínimos.

Como funciona a prova do Enem?

A prova do Enem acontece em dois domingos consecutivos. No primeiro domingo, as disciplinas da prova são:

  • Linguagens, Códigos e suas tecnologias (referentes às disciplinas de Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira e Artes)
  • Ciências Humanas (referentes às disciplinas de Geografia, História, Filosofia e Sociologia)
  • Redação

Na prova de Linguagens e Ciências Humanas, deve-se responder 45 questões objetivas de múltipla escolha. Isto é, 90 questões objetivas no total.

A redação é no formato dissertativa-argumentativa, a partir de uma situação-problema. De forma geral, o tema da redação é alguma pauta importante no ano da realização do exame.

No segundo domingo de prova, são as disciplinas de:

  • Matemática
  • Ciências da Natureza e suas tecnologias (referentes às disciplinas de Biologia, Física e Química)

Nessas duas provas, também são 45 questões objetivas de múltipla escolha. Ou seja, 90 questões no total.

As pessoas que quiserem levar o caderno de provas para casa precisam esperar até 30 minutos antes do fim da prova.

O que pode levar na prova

Os itens obrigatórios para fazer a prova são:

  • Documento de identidade com foto
  • Caneta preta de material transparente
  • Número de inscrição senha (pode levar um papelzinho com anotação)
  • Máscara facial (para os anos de pandemia do Covid-19)
  • Declaração de comparecimento impressa, caso você precise justificar ausência no trabalho

Outros itens que são essenciais para você fazer uma boa prova, mas que não são obrigatórios:

  • Garrafa de água
  • Álcool em gel
  • Lanche (frutas, barra de cereais, chocolates, salgadinhos, bolachas)

É importante ter atenção ao fato de que, conforme prevê todos os editais, é possível que os fiscais de prova revistem os lanches.

O que não pode levar na prova do Enem

Alguns itens são proibidos na prova. Inclusive, podem acarretar na eliminação da pessoa na prova:

  • Caneta de outra cor que não seja preta ou com tubo não transparente
  • Relógio de qualquer tipo
  • Lápis, borracha, lapiseira, corretivo e afins
  • Armas de qualquer tipo
  • Toucas, bonés ou outro acessório que cubra a cabeça ou o rosto
  • Óculos escuros
  • Celulares, tablets, calculadoras e outros aparelhos eletrônicos
  • Livros, apostilas e qualquer outro conteúdo, impresso ou não

Qual é o tempo de prova?

Bom, o tempo de prova depende das disciplinas do dia. No primeiro domingo, as pessoas têm 05h30min para responder às questões, preencher o gabarito, fazer a redação e passar para a folha de respostas.

No domingo seguinte, a duração total da prova é de 5h.

Como funciona a prova do Enem Digital?

A partir de 2020, desenvolveu-se uma norma forma de fazer a prova: o Enem Digital.

Diferente da prova tradicional, essa prova é exclusiva para estudantes que já concluíram ou que estão no último ano do Ensino Médio. Quer dizer, não é possível fazer a prova apenas para treinar.

Em resumo, a grande diferença da prova digital para a tradicional é que a prova objetiva não é impressa, mas sim feita no computador.

No entanto, assim como o exame tradicional, a pessoa precisa se deslocar até o local de prova, nos quais terão computadores pra fazer as questões objetivas.

A redação continua sendo feita no papel, em formato impresso, como nas versões anteriores da prova.

Nos dados do Inep, 99 municípios e 68.893 pessoas fizeram inscrição para a avaliação digital do Enem em 2021. Em comparação, 3.040.907 pessoas se inscreveram para a versão impressa.

A estimativa é que, até 2026, todas as pessoas façam a prova de maneira digital.

Como funciona o cálculo da nota do Enem?

O cálculo da nota do Enem segue a Teoria de Resposta ao Item (TRI). De forma geral, o TRI é um método de avalição capaz de analisar as questões que a pessoa respondeu corretamente e dar um peso específico para cada acerto.

Para isso, ele leva em consideração os diferentes níveis de dificuldade de cada questão – categorizando-as em fáceis, médias e difíceis.

Nesse contexto, o TRI segue três parâmetros de avaliação:

  • o de discriminação, que diferencia as pessoas que dominam e as que não dominam as habilidades que cada questão pede;
  • o de dificuldade, capaz de avaliar a complexidade da questão – quando maior o valor, mais difícil é o item;
  • o de acerto casual, que significa a probabilidade de acertar a questão sem dominar a habilidade (em outras palavras, rastrear a possibilidade de chute).

Em resumo, a partir de estatísticas e probabilidades, ele leva em conta não só o número de acertos, mas também o padrão de respostas da pessoa.

Então, é possível perceber quais acertos fogem do padrão das respostas para detectar um possível chute.

Por exemplo: a pessoa errou várias questões fáceis e medianas, mas acertou uma questão difícil. A partir do TRI, tende-se a anular esse acerto, por fugir do padrão.

Como é a nota da redação do Enem?

A avaliação da redação acontece a partir da análise de 5 competências:

  1. Estrutura sintática e desvios gramaticais
  2. Abordagem do tema, tipo textual e repertório
  3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista
  4. Demonstrar conhecimentos dos mecanismos linguísticos necessários para construir a argumentação
  5. Elaborar proposta de intervenção para o problema, respeitando os direitos humanos

A nota máxima da redação é 1000. Sendo assim, cada uma dessas competências vale 200 pontos.

A partir desses critérios, a primeira pessoa corretora atribui uma nota (0, 40, 80, 120, 160 ou 200) para cada competência. Em seguida, soma-se as notas de cada competência para chegar-se à nota final.

Depois, outra pessoa corretora examina a mesma redação e obedece aos mesmos critérios para chegar em uma segunda nota.

Se as notas das duas correções coincidirem, a nota final é a média aritmética das duas.

Se as notas forem muito diferentes (superior a 100 pontos no total), uma terceira pessoa deve corrigir a mesma redação.

Dicas para se preparar para a prova do Enem

Agora que você já sabe tudo sobre a prova, é hora de colocar a mão na massa e se preparar para os dias.

Aqui estão nossas dicas:

Se informe sobre os temas da atualidade

Fique por dentro de todos os temas de notícias e acontecimentos do ano. Se informe o máximo que der.

Não é só a redação que sugere um tema da atualidade, mas as outras questões

Organize seu tempo em relação aos conteúdos da prova

A melhor forma de começar a se organizar é fazer uma lista de todas as atividades que você precisará fazer. Não se esqueça de separá-las maior número de tarefas menores possível.

Em seguida, considerando o tempo que você tem, distribua as tarefas ao longo dos meses. Coloque primeiro as tarefas que não dependem de outras e que devem servir de base para as tarefas futuras.

Faça um plano de estudos

O plano de estudos pode ser uma ferramenta importante para aumentar a produtividade e garantir o cumprimento dos prazos de todas as tarefas.

Afinal, ele serve como um guia para direcionar as ações e atividades necessárias para alcançar o objetivo final. Mas, é claro. Não basta fazer um plano de estudos. Você precisa especialmente cumpri-lo.

Então, de forma geral, as três informações mais relevantes do plano são:

  • as tarefas que você precisa cumprir;
  • o intervalo de tempo que você deve fazer cada tarefa;
  • o prazo final para realizar cada tarefa específica.

O importante é que você tenha em mente duas organizações: uma organização diária e/ou semanal e uma organização mais ampla.

A organização diária ou semanal da sua agenda é o contexto mais prático. Deve servir para você saber o que você deve fazer no dia e na semana.

E outra organização mais ampla que consiga te fornecer um panorama de prazos de cada parte do estudo. Sempre tendo em vista a data da prova, que é o prazo mais importante de todos.

Você pode fazer uma tabela simples com a ordem de execução, o nome da tarefa, a data de início e a data de realização.

anotações de aula

Evite as ilusões de aprendizado

Algumas técnicas de estudo simplesmente não funcionam. Outras são utilizadas de forma errada. Em todos esses casos, é possível sentir a ilusão do aprendizado.

A ilusão de aprendizado faz o cérebro pensar que a pessoa está absorvendo conteúdos, quando, na verdade, não está.

Uma exemplo de ilusão de aprendizado é sublinhar o texto inteiro. As pesquisas sugerem que se sublinhe uma linha ou, no máximo, poucas palavras específicas. O ideal é puxar uma seta do texto e escrever um pouco sobre a ideia que acabou de ler.

Outra ilusão de aprendizado é ler e reler o texto muitas vezes. Outras pesquisas indicam que a melhor maneira de assimilar o conteúdo é ler, relembrar o conteúdo depois de um tempo e depois ler novamente.

Faça mapas mentais

De forma geral, mapa mental é uma técnica de organização e memorização de ideias, através de uma estrutura visual.

O objetivo principal dessa ferramenta é potencializar a capacidade do cérebro de armazenar conhecimento e elaborar raciocínio lógico.

Em resumo, a técnica consiste em escolher um tema principal para o centro e, a partir daí, ramificar outras palavras-chaves que se relacionam para as laterais.

Ou seja, o tema principal é o ponto ou nó central, no qual outras ideias se interligam.

Os benefícios do mapa mental decorrem especialmente de sua estrutura visual. A partir da criatividade e da necessidade, pode-se construir mapas mentais de muitas formas: com texto, setas, formas geométricas, imagens, cores, enfim.

Quer dizer: através de um mapa é possível montar diagramas, fluxos de conceito, esqueletos de textos e gráficos. Tudo para ajudar e estruturar ideias.

Utilize a técnica Pomodoro

A técnica Pomodoro é um sistema de gerenciamento de tempo. A proposta é que as pessoas trabalhem com o tempo que elas têm – e não contra o tempo.

A ideia por trás dessa técnica é bastante simples: entende-se que blocos menores de fluxos de trabalho melhoram a agilidade do cérebro e estimulam o foco.

Por esse motivo, a técnica consistir em utilizar um cronômetro para dividir o dia de trabalho ou estudo em blocos de 25 minutos. A cada bloco deve-se fazer um intervalo de 5 minutos. E a cada quatro blocos de 25 minutos, deve-se fazer uma pausa maior de 20 a 30 minutos.

Isso porque, como você já sabe, o método parte da ideia de que pausas frequentes podem intensificar a agilidade mental.

No mesmo sentido, as pausas evitam que você sinta o esgotamento de fim de expediente, sabe? O cronômetro vai te forçar a levantar, respirar um pouco e, só depois, retornar ao trabalho.

Além do mais, você deve se concentrar em uma única tarefa. Sem mudar o foco para fazer outras coisas.

Nos blocos de 25 minutos, você não pode desfocar a atenção. Então, nada de checar e-mails, responder whatsapp, acessar Instagram ou qualquer outra atividade.

Conheça seu processo criativo

A vida acadêmica exige uma boa dose de criatividade, que vai desde as escolhas dos temas até a produção de infinitos trabalhos acadêmicos com qualidade e originalidade.

Conhecer seu processo criativo vai te ajudar muito a desenvolver suas habilidade como universitário e otimizar todo tempo de estudo.

De forma geral, o processo criativo é um processo de estruturação para o desenvolvimento de atividades criativas: desde o surgimento da ideia até a realização do projeto.

Depois que você conhece e define o seu próprio processo criativo, fica muito mais fácil direcionar esforços para as etapas desse processo. No fim, você otimiza o seu tempo e melhora sua produtividade.

Sem contar que a definição de um processo criativo com etapas muito bem estruturadas evita que você fique paralisada em bloqueios criativos.

Utilize materiais impressos

Embora computadores e tecnologia consigam facilitem bastante alguns processos, existe um consenso na ciência de que materiais impressos auxiliam na eficácia dos estudos.

Uma das hipóteses que justifica isso é que a velocidade do cérebro não acompanha a velocidade da digitação no teclado. Diferente da escrita, com lápis ou caneta, que é mais lenta.

Além do mais, outras pesquisas indicam que as pessoas preferem estudar a partir de materiais impressos.

Ainda existem pesquisas que concluíram que estudantes que estudam a partir de materiais digitais precisam repetir mais vezes se comparados aos que estudam com papel.

Tente evitar distrações

Para direcionar o foco dos estudos é importante evitar possíveis distrações. Isso vai variar de cada pessoa né? Algumas pessoas se distraem com barulhos da televisão, da rua… enfim.

No geral, é sempre bom desativar as notificações pra não ser interrompido a cada 10 segundos.

Dormir também faz parte do processo de aprendizagem

Às vezes, a rotina de preparação pode ser muito cansativa. Mesmo porque, muitas vezes, você vai precisar conciliar a tarefa de estudar com outras atividades que consomem tempo e energia.

Então, ao eliminar o cansaço, dormir pode ser uma boa maneira de ajudar a desbloquear a cabeça e deixar a mente pronta para focar na solução de problemas.

Quando você perceber que está exausta, procure tirar um tempo para descansar. Tenho certeza que você voltará mais ativa para encontrar novas e boas ideias.

Explique as ideias para alguém

Existe um consenso na ciência de que as pessoas aprendem mais quando estudam de forma ativa. Isso significa que uma pessoa aprende muito mais quando ensina algo para alguém, ao invés de aprender um conteúdo de forma passiva.

Já que a pessoa precisa desenvolver técnicas de recordação e formas didáticas de expor o conteúdo. Dessa forma, a chance de assimilar o conteúdo é muito maior.

Então, todas as práticas que envolvem esse engajamento são mais eficazes do que simplesmente ler ou ouvir a explicação.

Escreva redações

A redação é um dos pontos mais importantes na prova, especialmente porque tem uma pontuação bem alta.

Ela pode te ajudar, inclusive, a recuperar nota em matérias que você não vai tão bem.

Não deixe para escrever a primeira redação do ano no dia da prova. Pratique o máximo que der.

Teste seus conhecimentos em simulados e provas anteriores

A importância da resolução de exercícios e de atividades simuladas é comprovada cientificamente. O melhor caminho para aprender é, portanto, anotar as ideias principais, fazer releitura espaçadas e fazer simulados.

A resolução de questões é fundamental para testar e avaliar os conhecimentos. No final, você vai saber em qual conteúdo você precisará se dedicar com mais profundidade.

Inclusive, pesquisa científicas indicam que é importante fazer simulados e resolver exercícios com livros fechados e computadores desligados. O processo de testar e errar é imprescindível para a absorção de conhecimento.

Nesse contexto, fazer os exercícios de provas anteriores e testar conhecimentos em simulados pode ser uma ótima forma de estudar para a prova.

Afinal, as questões de todas as provas seguem um padrão específico de formulação. Assim, você pode conhecer e se adaptar a esse formato.

Depois que terminar os exercícios, confira as respostas e revise as questões que você errou.

Crie um ambiente estimulante para você

Algumas pessoas precisam de silêncio, outras precisam de estímulos. Algumas pessoas preferem estudar em um ambiente limpo e organizado, outras se sentem melhor em ambientes com muitas informações.

Pois bem. Existem muitas formas de criar um ambiente estimulante para a aprendizagem e a configuração vai depender exatamente do que funciona melhor para o processo de cada pessoa.

Mas, independente de como ele seja, é importante criar um espaço em que você se sinta estímulos para aprender. Nesse ponto, você pode até estudar sobre cromoterapia, sobre disposição de móveis e de luz solar e estudos sobre cheiros e óleos essenciais, enfim.

É importante encontrar o que melhor se adapte às suas necessidades 🙂

No entanto, também é importante mudar o cenário do estudo para não criar dependência de alguns lugares. Isso porque o cérebro não pode ser dependente de fatores como temperatura e silêncio. Então, é importante variar o local.

Tente fazer conexões entre as ideias

Uma ótima forma de compreender e absorver conteúdos é criando conexões entre as ideias. Denomina-se esse método de aprendizagem contextual.

Na prática, esse processo consiste em relacionar as informações com contextos fáticos, políticos, econômicos. Na realidade, cada estudante vai criar seu próprio método e parâmetros de contextualização, a partir de conhecimentos que já tem.

Então, por exemplo, é muito mais simples entender problemas matemáticos que relacionam fatos do cotidiano da vida dos estudantes. Quando relacionam com objetos e fatos de suas rotinas, estudantes conseguem absorver melhor a técnica.

Como usar o resultado do Enem?

Como você já sabe, a partir da nota do Enem é possível ingressar em universidades públicas e privadas, conseguir bolsas de estudos para cursos de nível superior e técnico, fazer financiamento estudantil e fazer um curso de graduação em Portugal.

Veja como utilizar a nota do Enem para ingressar em universidades públicas pelo Sisu e conseguir financiamento estudantil em universidades privadas:

No Sisu

Com a nota do Enem, é possível ingressar em universidades públicas de todo país, através do Sisu.

A inscrição para o programa acontece todos os anos, no início de cada semestre.

Para participar, é necessário:

  • Ter a nota do último exame do Enem;
  • Tirar nota superior à zero na redação;
  • Atingir a nota de corte do curso

No Fies

O Fies é o programa de financiamento estudantil para cursar o ensino superior em universidades privadas.

Os requisitos do programa são:

  • Ter nota de alguma edição do Enem desde 2010;
  • Comprovar renda familiar inferior à 3 salários mínimos por pessoa;
  • Estar matriculado em uma instituição de ensino superior inscrita no programa;
  • Tirar nota superior à zero na redação e totalizar 450 na média das provas.

Como usar a nota do Enem em Portugal?

Em 2014 o Brasil firmou um acordo com Portugal. A partir desse acordo, é possível fazer um curso de graduação em Portugal usando apenas a nota do Enem.

Para se candidatar a uma vaga em Portugal, é necessário consultar os requisitos de cada universidade que participa desse programa. Você pode acessar essas informações na própria página da instituição.

No site do Ministério da Educação você pode conferir todas as universidades que aceitam o Enem como forma de ingresso para graduação.

A Mettzer também pode ajudar no Enem

Não sei se você já sabe, mas a Mettzer também é uma ótima aliada de estudantes e pode te ajudar no Enem.

Isso porque a Mettzer tem o melhor editor de texto para fazer as suas anotações de aula. Você pode criar, organizar e carregar suas anotações para qualquer lugar.

Afinal de contas, você pode acessar o editor de qualquer dispositivo: no aplicativo ou no navegador. De qualquer computador ou celular. É só digitar seu e-mail e sua senha de acesso.

E a melhor parte: você não precisa pagar nada por isso. As anotações de aula fazem parte do nosso plano gratuito.

Se interessou? Você pode experimentar 🙂

Como referenciar esse artigo:

COELHO, Beatriz. Tudo sobre o Enem: informações importantes até dicas para fazer a prova. Blog da Mettzer. Disponível em: http://blog.mettzer.com/enem. Acesso em: 6 abr. 2022.

O que é Enem?

Atualmente, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é a principal forma de ingresso nas faculdades do Brasil e uma das maiores provas aplicadas no pais.

Para quê o Enem serve?

– É uma forma de ingresso em universidades públicas, através do Sisu;
– Faz parte do processo seletivo para aquisição de financiamento estudantil (FIES);
– Oferece oportunidades de bolsas parciais e integrais em instituições de ensino privadas pelo Programa Universidade para todos (Prouni);
– Também fornece possiblidade de bolsas parciais e integrais em cursos técnicos, através do Sisutec;
– É uma forma de avaliar conhecimentos de estudantes do Ensino Médio e calcular indicadores educacionais.

É possível pegar o diploma do Ensino Médio com Enem?

Não. Até 2016, era possível obter o diploma do Ensino Médio através da prova do Enem. No entanto, a partir da edição de 2017, o exame passou a não ter mais essa finalidade. Então, todas as pessoas que precisam pegar o diploma do Ensino Médio devem fazer a prova do Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Quem pode fazer a prova do Enem?

Bom, de forma oficial, a prova do Enem se destina às pessoas que já concluíram o ensino médio ou estão prestes a concluir.

Como se inscrever no Enem?

É bem simples e demora poucos minutos. Todo processo é online. Você só precisa ter atenção às datas do período de inscrição. Você pode encontrá-las no edital no Portal do Inep ou no aplicativo oficial do Enem.

Quais são as hipóteses de isenção da taxa de inscrição do Enem?

– Estar no último ano do Ensino Médio de escola Pública. Isso garante isenção automática da taxa de inscrição.
– Ser de escola pública ou bolsista de escola particular com renda mensal de até 1,5 salário mínimo por pessoa da família.
– Estar inscrito no CadÚnico do Governo Federal, que fornece auxílio às pessoas com renda de até 0,5 salário mínimo por pessoa ou renda total de até 3 salários mínimos.

O que precisa levar na prova do Enem?

Os itens obrigatórios para fazer a prova são:
– Documento de identidade com foto
– Caneta preta de material transparente
– Número de inscrição senha (pode levar um papelzinho com anotação)
– Máscara facial (para os anos de pandemia do Covid-19)
– Declaração de comparecimento impressa, caso você precise justificar ausência no trabalho

O que não pode levar na prova do Enem?

– Caneta de outra cor que não seja preta ou com tubo não transparente
– Relógio de qualquer tipo
– Lápis, borracha, lapiseira, corretivo e afins
– Armas de qualquer tipo
– Toucas, bonés ou outro acessório que cubra a cabeça ou o rosto
– Óculos escuros
– Celulares, tablets, calculadoras e outros aparelhos eletrônicos
– Livros, apostilas e qualquer outro conteúdo, impresso ou não

Como é a nota da redação do Enem?

A avaliação da redação acontece a partir da análise de 5 competências:
– Estrutura sintática e desvios gramaticais
– Abordagem do tema, tipo textual e repertório
– Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista
– Demonstrar conhecimentos dos mecanismos linguísticos necessários para construir a argumentação
– Elaborar proposta de intervenção para o problema, respeitando os direitos humanos

compartilhe

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Teste agora nosso editor que formata trabalhos nas Normas da ABNT e APA

Modelos customizáveis de acordo com sua universidade