Como fazer um mapa mental em 5 passos

compartilhe

O mapa mental é uma ferramenta importante para ajudar na sua vida acadêmica. Vem entender o que é e como fazer.


Não sei se você já sabe, mas o mapa mental pode ser um grande aliado da sua vida acadêmica.

Isso porque ele pode te ajudar em diversos processos: tanto para aprender algo novo, quanto para estudar e memorizar sobre o que você já sabe. E, inclusive, serve para ter novas ideias e estruturar projeto de pesquisa e trabalhos.

Nesse post, vou te explicar o que é, quais os benefícios e como fazer um mapa mental. Bora? 🙂

O que é um mapa mental?

O conceito de mapa mental não é muito novo. Mas, ainda assim, não é tão conhecido como deveria. Afinal de contas, é uma ferramenta que pode auxiliar (e muito!) na vida acadêmica.

De forma geral, mapa mental é uma técnica de organização e memorização de ideias, através de uma estrutura visual. O objetivo principal dessa ferramenta é potencializar a capacidade do cérebro de armazenar conhecimento e elaborar raciocínio lógico.

Foi o psicólogo inglês Tony Buzan que apresentou o termo mapa mental pela primeira vez, em 1974, durante a série Use Your Head [que, em tradução livre, significa: use sua cabeça].

De acordo com Buzan, em Mapas Mentais e sua elaboração (2005):

“Todos os mapas mentais têm algumas coisas em comum: usam cores; têm uma estrutura natural que parte do centro; todos utilizam linhas, símbolos, palavras e imagens de acordo com um conjunto de regras simples, básicas, naturais e familiares ao cérebro”.

Os benefícios do mapa mental decorrem especialmente de sua estrutura visual. A partir da criatividade e da necessidades, pode-se construir mapas mentais de muitas formas: com texto, setas, formas geométricas, imagens, cores, enfim.

Quer dizer: através de um mapa é possível montar diagramas, fluxos de conceito, esqueletos de textos e gráficos. Tudo para ajudar e estruturar ideias.

Em resumo, a técnica consiste em escolher um tema principal para o centro e, a partir daí, ramificar outras palavras-chaves que se relacionam para as laterais.

Ou seja, o tema principal é o ponto ou nó central, no qual outras ideias se interligam.

Mapa mental x mapa conceitual: qual é a diferença?

É bastante comum que pessoas universitárias confundam o conceito de mapa conceitual com mapa mental. No entanto, como vamos ver, essas são ferramentas diferentes que têm, inclusive, objetivos diferentes.

Bom, vamos lá. A primeira grande diferença é a finalidade das ferramentas. O objetivo do mapa conceitual é representar um conhecimento que já existe, para servir como uma ferramenta de aprendizagem.

O objetivo do mapa mental, por sua vez, é desenvolver um conjunto de ideias novas.

A outra diferença refere-se à aplicação. Enquanto o mapa conceitual representa conhecimentos mais formais – como o conhecimento acadêmico ou plano estratégico de uma empresa, por exemplo -, o mapa mental pode representar uma maior variedade de tarefas e conceitos.

Então, o mapa mental é mais flexível e o mapa conceitual é mais formal e hierarquizada.

Além do mais, o mapa conceitual mostra tópicos com ligações cruzadas e múltiplas relações. Por outro lado, o mapa mental mostra apenas um tópico com item primário no centro e todos os outros secundários, espalhando-se pelas laterais.

Como mapa mental pode ajudar na sua vida acadêmica?

Algumas pesquisas científicas comprovam os benefícios do mapa mental para a melhor retenção da informação, em razão de sua estrutura visual. É o que Tony Buzan já havia adiantado: a absorção das ideias aumenta com o uso das imagens, curvas, cores e palavras-chave assertivas.

Aqui estão as principais vantagens de usá-lo:

  • Geração de novas ideias: os mapas mentais são ferramentas importantes para debater informações e ter novas ideias sobre um tema. Isso porque ele ajuda a concentrar os pensamentos, dando origem a novas ideias e mostrando como elas se relacionam entre si.
  • Anotação de ideias e conteúdos: as pessoas – tanto estudantes, como pesquisadores e professores – podem usar mapas mentais para captar e organizar ideias de aulas, apresentações e estudos.
  • Memorização e absorção de informação: muitas pesquisas têm demonstrado melhoria na memória e aumento na absorção do conteúdo através dos mapas.
  • Planejamento: a partir do mapa, é possível estruturar as etapas de um trabalho ou de um projeto de pesquisa.

5 passos de como fazer um mapa mental

Siga esses 5 passos para fazer o seu mapa:

1. Defina o tema central

Bom, esse é o primeiro ponto. Antes de mais nada, você precisa entender quais são os seus objetivos com o mapa.

A partir de seu objetivo, você já pode construir a sua ideia central. Ela vai ser o ponto central. Uma dica é utilizar conceitos simples e assertivos, para não desviar o foco do mapa.

Você deve escrever o tema principal em letras grandes no centro do mapa. Para defini-lo, leve em consideração: sobre o que deve ser o mapa? qual é a sua finalidade? qual é o problema que você quer resolver?

2. Defina a ferramenta que você vai usar

Existem várias formas de fazer um mapa. Você pode usar ferramentas tecnológicas ou usar apenas uma caneta e um papel. se tiver canetas coloridas, melhor ainda.

3. Escolha os subtópicos principais

Em seguida, comece a elencar os pontos mais importantes sobre o seu tema. Eles serão os subtópicos do mapa. Eles devem ajudar a começar a organizar as informações.

Escreva cada subtópico nas laterais do papel e puxe uma seta a partir do tema central. Se puder, utilize cores diferentes.

É interessante usar uma letra menor que a letra do título para sinalizar a hierarquia do assunto.

4. Escreva tópicos que se relacionam aos subtópicos

Agora é hora de explorar os subtópicos. Vá anotando todas as informações que se relacionam aos subtópicos. Utilize cores e setas para indicar os setores das informações.

Você pode incluir quantas palavras-chave quiser. Não há limites na quantidade de tópicos e subtópicos.

5. Adicione novos elementos: desenhos e cores

Por fim, utilize desenhos e cores diferentes para ajudar a organizar e a memorizar as informações do mapa.

Dicas especiais para fazer um mapa mental

Para facilitar a construção do mapa e otimizar os benefícios, leve em consideração as seguintes dicas:

  • Escreva tópicos assertivos e objetivos. É importante que você entenda e memorize as informações.
  • Utilize elementos gráficos e cores diferentes para setorizar e memorizar ideias.
  • Você precisa criar uma organização de palavras e de desenhos que faça sentido para você e que auxiliem na finalidade do mapa mental.

Ferramentas para fazer mapa mental

Pois bem. Você pode fazer o seu mapa usando apenas papel e caneta. No entanto, caso quiser aproveitar um pouco de tecnologia, aqui estão 2 dicas de ferramentas:

Canva

Canva é uma ferramenta interessante para criar apresentações e templates. A plataforma, inclusive, disponibiliza diversos modelos de fluxogramas gratuitos, que você pode utilizar e personalizar como preferir.

Miro

Miro é a minha opção preferida para criar mapas que precisem de uma visualização ampla. Ele também tem diversos modelos que você pode apenas editar.

Além disso, ele tem a funcionalidade de compartilhar o seu trabalho com outras pessoas. Isso é fundamental para quem está trabalhando em grupo.

Sem contar que a ferramenta compreende infinitos quadros brancos, que dão bastante liberdade para criar seu mapa para todos os lados.

Formatação automática dos trabalhos acadêmicos nas normas da ABNT

Você não pode esquecer que, independentemente do tipo de produção – seja um TCC, uma monografiadissertação e até tese e da área do conhecimento, você deve respeitar as normas da ABNT e normas APA.

Se você seguir as regras, seu trabalho vai ficar pronto pra publicar. Mas o tanto de trabalho que dá né?

A boa notícia é que você não precisa passar por isso. Use a tecnologia a seu favor: nós podemos te ajudar 🙂

O Mettzer é o melhor editor de texto do mercado, que formata de forma automatizada qualquer trabalho nas normas ABNT: desde a capa até às referências bibliográficas.

Apresentação Geral - Mettzer

Assim, você ganha tempo e tranquilidade e pode se dedicar exclusivamente ao conteúdo do seu trabalho.

Se interessou? Faça um teste gratuito por 7 dias.

O que é um mapa mental?

O mapa mental é uma técnica de organização e memorização de ideias, através de uma estrutura visual. O objetivo principal dessa ferramenta é potencializar a capacidade do cérebro de armazenar conhecimento e elaborar raciocínio lógico.

Como fazer um mapa mental?

1. Defina o tema central
2. Escolha a ferramenta que você vai utilizar
3. Escolha os subtópicos principais
4. Explore as ideias nos tópicos
5. Utilize imagens e cores diferentes para organizar e memorizar.

Quais os benefícios de um mapa mental?

1. Geração de novas ideias.
2. Memorização e absorção de informação.
3. Planejamento de trabalhos e projeto de pesquisa.
4. Anotação de ideias e de conteúdos.

compartilhe

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Teste agora nosso editor que formata trabalhos nas Normas da ABNT e APA

Modelos customizáveis de acordo com sua universidade