Método indutivo: um guia sobre esse método de abordagem

3.5
(2)

O método indutivo é um método de abordagem responsável por fazer generalização. Isto é, parte-se de algo particular para uma questão mais ampla, ou seja, um aspecto geral.


Será que o método indutivo é realmente o melhor método de abordagem para sua pesquisa?

Bom, a única forma de saber é conhecendo cada um dos métodos. Só então, é possível escolher, não é mesmo?

Então, vamos lá. Esse conteúdo é um guia sobre o método indutivo. Você vai gostar de conhecer.

Se no final do post você ainda ficar com alguma dúvida, não deixe de me escrever, ok? 🙂

O QUE É MÉTODO DE ABORDAGEM?

Antes de passarmos à definição do método indutivo, você precisa saber o que é um método de abordagem.

Em linhas gerais, o método de abordagem é o caminho que você vai utilizar para realizar o objetivo geral da sua pesquisa científica.

Quer dizer, o método de abordagem é o método científico que você vai seguir. Ou seja: método de abordagem e método científico são sinônimos.

O método de abordagem é o conjunto de atividades sistemáticas que permite que você alcance os objetivos da pesquisa. É a estratégia de investigação da pesquisa, que segue regras e padrões específicos, para chegar em uma conclusão científica.

Em termos mais simples, o método de abordagem refere-se ao conjunto de métodos que vão organizar, de forma lógica, o pensamento para solucionar o problema da pesquisa.

Além do método indutivo, os métodos de abordagem são: o método experimental, o método dialético, o método dedutivo, o método hipotético-dedutivo e o método fenomenológico.

A importância de desenvolver o método de abordagem

A observância desses métodos garantem ganha autenticidade, confiabilidade e valor científico à pesquisa. Já que direcionam a pesquisa à produção de conhecimentos válidos e científicos.

Para entender melhor, você deve compreender o percurso do conhecimento científico.

A pesquisa científica é a investigação de um fenômeno. O objetivo de qualquer pesquisa vai ser sempre encontrar a solução para algum problema. É por isso que todos os professores dizem que toda pesquisa parte de um problema de pesquisa.

O método de abordagem é, portanto, o caminho que a pesquisa vai trilhar para alcançar um conhecimento reconhecidos pela ciência.

Isso não significa dizer que existe um conjunto de diretrizes imutáveis para seguir à risca. Mas que é necessário construir um procedimento de pesquisa lógico que se adapte às necessidades e aos objetivos da pesquisa.

Por essa razão que é necessário conhecer os termos e os tipos de métodos. Isso impede que questione a pesquisa de forma negativa, como se o pesquisador tivesse tirado os resultados de sua imaginação.

Já que uma pesquisa que não segue um método científico correta ao seu caso ou que é aplica o método de forma displicente pode ser reduzida a mera experiência ou intuição do pesquisador.

Diferença entre método de abordagem e método de procedimento

Você só precisa ter cuidado para não confundir os conceitos de método de abordagem e de método de procedimento da pesquisa. São coisas diferentes.

O método de abordagem tem uma finalidade mais ampla, aplicando-se ao objetivo geral do trabalho. Então, se as pesquisa têm apenas um método de abordagem. Afinal, elas só têm um objetivo geral.

O método de procedimento, por outro lado, tem uma finalidade mais restrita, aplicando-se aos objetivos específicos do trabalho.Se a pesquisa tiver três objetivos específicos (e possivelmente três capítulos de desenvolvimento), por exemplo, também terá três métodos de procedimentos.

Ou seja: enquanto o método de procedimento é responsável por informar a maneira de fazer uma experiência – ou seja, “como” fazer, o método de abordagem é responsável pro estabelecer “o quê” fazer.

Em outras palavras, a forma de aplicação do método são os métodos de procedimentos.

O QUE É O MÉTODO INDUTIVO?

Em linhas gerais, o método indutivo é o método de abordagem responsável por fazer generalização. Isto é, parte-se de algo particular para uma questão mais ampla, ou seja, um aspecto geral.

O objetivo desse método é, em outras palavras, chegar em conclusões mais amplas do que o conteúdo das premissas nas quais está se fundamentando.

Então, por exemplo, ao analisar 100 burros aleatórios constatou-se que todos os burros tinham orelhas grandes. De forma indutiva, conclui-se que o 101º burro também terá orelhas grandes.

Então, é o raciocínio que se faz ao considerar um número suficiente de casos particulares para concluir uma verdade geral.

Um ponto importante desse método é que a enumeração de dados deve ser suficiente para permitir a passagem do particular para o geral. Mas, a indução também pressupõe a probabilidade. Ou seja, se um número alto de burros têm orelhas grande, é provável que o próximo também terá.

A diferença entre método dedutivo e método indutivo

Existem três diferenças básicas entre o método dedutivo e o método indutivo.

A primeira diferença é que o indutivo, ao contrário do método dedutivo, parte de uma premissa menor para uma maior. Então, usa-se o método indutivo para construir premissas genéricas e gerais.

A segunda diferença é que no método indutivo a conclusão traz ideias que não estavam presentes nas premissas, enquanto no método dedutivo todas as informações já estão, mesmo que indiretamente, previstas nas premissas.

Além do mais, em terceiro lugar, se todas as premissas são verdadeiras, no método dedutivo, a conclusão também será verdadeira. No método indutivo, no entanto, se todas as premissas são verdadeiras, a premissa provavelmente será verdadeira, mas não é necessariamente verdadeira.

Nota-se que o método dedutivo possibilita que o pesquisador caminhe do conhecido para o desconhecido com maior segurança e uma margem menor de erro.

Contudo, é um método que se limita às premissas. Quer dizer, as conclusões jamais poderão ultrapassar o que estabelecem as premissas.

Diferença entre método dedutivo e indutivo
Diferença entre método indutivo e método dedutivo

Crítica de Karl Popper ao método indutivo

A ideia central da crítica de Karl Popper ao método indutivo consistia na problematização do salto indutivo, que generaliza conclusões de alguns para todos. Nas ideias de Popper, esse salto exigiria que a observação de fatos fosse infinita – para atingir a todos -, o que nunca poderia ocorrer.

Sendo assim, Popper propõe uma atitude crítica e racional, a partir da construção de hipóteses que devem se submeter aos testes. Além do mais, defendia a permanência da publicidade e discussões para construir críticas e confrontar fatos.

Tudo isso para que, ao final, se verificar quais as hipóteses que sobrevivem como mais aptas à resolução das questões problemáticas.

Então, a principal distinção entre o método hipotético-dedutivo – que Popper propôs – e o método indutivo, é que o primeiro não se limita à generalização empírica das observações.

EXEMPLO DE MÉTODO INDUTIVO

Exemplo 1

  • Observação 1: O cisne 1 é branco.
  • Observação 2: O cisne 2 é branco.
  • Observação 3: O cisne 3 é branco.
  • Observação 4: O cisne n é branco.

Conclusão: Logo, todo cisne é branco.

Exemplo 2

  • Observação 1: Cobre conduz energia.
  • Observação 2: Zinco conduz energia.
  • Observação 3: Cobalto conduz energia.
  • Observação 4: Ora, cobre, zinco e cobalto são metais.

Conclusão: Logo, todos os metais conduzem energia.

Exemplo 3

  • Observação 1: Tainhas são peixes que vivem no mar e têm 90% de ômega 3 em sua pele.
  • Observação 2: Anchovas são peixes que vivem no mar e têm 90% de ômega 3 em sua pele.
    Observação 3:
    Linguados são peixes que vivem no mar e têm 90% de ômega 3 em sua pele.
  • Observação 4: Os peixes tainhas, anchovas e linguados vivem no mar.

Conclusão: Logo, todos os peixes que vivem no mar têm 90% de ômega 3 em sua pele.

LEIS OU FASES DO MÉTODO INDUTIVO

Para que se conclua por um raciocínio indutivo, é fundamental que se observe os seguintes passos:

Observação dos fenômenos

Nesta etapa, observa-se os fatos e fenômenos para tentar descobrir as causas de suas manifestações.

Descoberta da relação entre eles

Em seguida, deve-se comparar os fatos e fenômenos, para descobrir relações que existem entre eles.

Generalização da relação

Por fim, deve-se generalizar a relação que se encontrou na etapa anterior entre os fenômenos e os fatos semelhantes. Quanto maior for o número de observações, maior será a certificação de seu resultado.

REGRAS DO MÉTODO INDUTIVO

Certificar-se de que a relação que se pretende generalizar é essencial

Isso evita confundir algo que é apenas acidental com essencial aos fatos.

Assegurar-se de que os fenômenos dos quais se pretende generalizar a relação são idênticos

Isso evita aproximar fenômenos e fatos diferentes, cuja aproximação é apenas acidental.

Não perder de vista o aspecto quantitativo dos fenômenos

Essa regra se impõe porque a ciência é primordialmente quantitativa, motivo pelo qual é possível um tratamento objetivo.

Formatação automática nas normas da ABNT

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o método indutivo, que tal pensar em aplicá-lo em sua pesquisa?

Contudo, lembre-se de que, seja qual for o tipo de trabalho acadêmico, além de seguir o método de abordagem com rigor, ele também deve obedecer às normas da ABNT.

Nisso nós podemos te ajudar. O Mettzer é um editor de textos que formata, de forma automática, todos os trabalhos acadêmicos nas normas da ABNT.

Apresentação Geral - Mettzer

Ou seja, toda formatação é feita de forma automática e você vai poder se dedicar só ao que realmente importa, que é o desenvolvimento da sua pesquisa.

Faça um teste gratuito por 7 dias e descubra como a tecnologia pode te ajudar!

O que você achou disso?

Mande corações

Média da classificação 3.5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

2 comentários em “Método indutivo: um guia sobre esse método de abordagem”

    • Oi, Alice!

      Para responder melhor sua pergunta, seria bom entender sobre o que é o trabalho de campo.
      Mas o método indutivo faz generalizações. Ou seja, parte do específico – que pode ser a questão analisada em campo – para o aspecto geral.

      Espero que ajude.
      Um abraço.

      Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.