Método de abordagem: saiba como escolher o melhor para sua pesquisa

|
Tempo médio de leitura: 13 minutos
5
(3)

O método de abordagem é o caminho que você vai utilizar para realizar o objetivo geral da sua pesquisa científica. Precisa definir o método da sua pesquisa? Então, você está no lugar certo. Vem ver.


Se você tem dúvidas, deixa logo eu te falar, método de abordagem é um sinônimo de método científico.

Agora, me diz uma coisa: você está precisando de uma ajudinha para definir o método da sua pesquisa?

Então, pega teu café e vem comigo. Esse é um guia com tudo que você vai precisar saber.

No final do post, você me conta qual é o método que mais se alinha ao objetivo da sua pesquisa? 🙂

O QUE É MÉTODO DE ABORDAGEM?

Antes de mais nada, você precisa entender o que é um método de abordagem. Vamos lá.

De forma geral, o método de abordagem é o caminho que você vai utilizar para realizar o objetivo geral da sua pesquisa científica. Então, é certo dizer que o método de abordagem é o método científico que você vai seguir.

Afinal de contas, o método de abordagem é a estratégia de investigação da pesquisa, que segue regras e padrões específicos, para chegar em uma conclusão científica.

Ou seja: é o conjunto de atividades sistemáticas que permite que você alcance os objetivos da pesquisa.

Em outras palavras, o método de abordagem refere-se ao conjunto de métodos que vão organizar, de forma lógica, o pensamento para solucionar o problema da pesquisa.

Diferença entre método de abordagem e método de procedimento

Mas, tome cuidado para não confundir método de abordagem e método de procedimento da pesquisa. São coisas diferentes.

O método de abordagem tem uma finalidade mais ampla, aplicando-se ao objetivo geral do trabalho. Então, se as pesquisa têm apenas um método de abordagem. Afinal, elas só têm um objetivo geral.

O método de procedimento, por outro lado, tem uma finalidade mais restrita, aplicando-se aos objetivos específicos do trabalho. Se a pesquisa tiver três objetivos específicos (e possivelmente três capítulos de desenvolvimento), por exemplo, também terá três métodos de procedimentos.

Ou seja: enquanto o método de procedimento é responsável por informar a maneira de fazer uma experiência – ou seja, “como” fazer, o método de abordagem é responsável pro estabelecer “o quê” fazer.

Em outras palavras, a forma de aplicação do método são os métodos de procedimentos.

A importância de desenvolver o método de abordagem

A observância desses métodos garantem ganha autenticidade, confiabilidade e valor científico à pesquisa. Já que direcionam a pesquisa à produção de conhecimentos válidos e científicos.

Vou explicar melhor. A pesquisa científica é a investigação de um fenômeno. O objetivo de qualquer pesquisa vai ser sempre encontrar a solução para algum problema. É por isso que todos os professores dizem que toda pesquisa parte de um problema de pesquisa.

O método de abordagem é, portanto, o caminho que a pesquisa vai trilhar para alcançar um conhecimento reconhecidos pela ciência.

Isso não significa dizer que existe um conjunto de diretrizes imutáveis para seguir à risca. Mas que é necessário construir um procedimento de pesquisa lógico que se adapte às necessidades e aos objetivos da pesquisa.

Por essa razão que é necessário conhecer os tipos de métodos. Isso impede que questione a pesquisa de forma negativa, como se o pesquisador tivesse tirado os resultados de sua imaginação.

Já que uma pesquisa que não segue um método científico correta ou que é aplica o método de forma displicente pode ser reduzida a mera experiência ou intuição do pesquisador.

OBJETIVOS DO MÉTODO de abordagem

Para você compreender melhor, listei os objetivos centrais do método de abordagem.

Descrição dos fenômenos

A partir do método científico, os pesquisadores definem, classificam e categorizam situações e relações para descrever comportamentos.

Previsão de comportamentos

Quando os pesquisadores identificam correlação entre as variáveis é possível prever processos mentais e comportamentos.

Explicação de fenômenos

A partir do método de abordagem, os pesquisadores entendem um fenômenos e pensam soluções para problemas do cotidiano.

Aplicação de conhecimento na prática

Os pesquisadores aplicam o conhecimento e os métodos de abordagem para encontrar soluções que melhorem a vida das pessoas.

Natureza do método de abordagem

O cuidado para utilizar os termos, conceitos e definições significa, de forma metodológica, expressar aquilo que queremos e sabemos transmitir na ciência.

Desta forma, é importante ter em mente alguns conceitos para compreender a natureza do método de abordagem, conforme o quadro de Tartuce (2006, p. 12):

Fatos

Os fatos acontecem na realidade, independentemente de haver ou não quem os conheça.

Fenômeno

É a percepção que o observador tem do fato. Pessoas diversas podem observar no mesmo fato alguns fenômenos diferentes, dependendo de seu paradigma e do ponto de vista.

Paradigmas

Constituem-se em referenciais teóricos que servirão de orientação para a opção metodológica de investigação.

Mesmo que os paradigmas se constituam por construções teóricas, não há cisão entre a teoria e a prática, ou entre a teoria e a lei científica. Portanto, um e outro coexistem gerando o que se pode denominar praxiologia.

Termos

São palavras, declarações, significações convencionais que se referem a um objeto.

Conceito

É a representação, expressão e interiorização daquilo que a coisa é (compreensão da coisa). É a idealização do objeto.

O conceito é uma atividade mental que conduz um conhecimento, tornando não apenas compreensível essa pessoa ou essa coisa, mas todas as pessoas e coisas da mesma época.

Definição

É a manifestação e apreensão dos elementos contidos no conceito, tratando de decidir em torno do que se duvida ou do que é ambivalente.

Tipos de métodos de abordagem

Tendo em vista a importância de articular o método ao objetivo da pesquisa, tenha em mente que não existe apenas um tipo de método de abordagem. Existem alguns tipos de métodos.

Não existe um método melhor do que o outro. O que existe é um método que se alinha melhor ao modelo da pesquisa e suas especificidades. Isso também significa que você pode tomar caminhos diferentes ao realizar o seu trabalho.

Temos, dentre diversos tipos de métodos de abordagem. Alguns são mais populares do que outros. Alguns são mais complexos do que outros.

Então, a melhor forma de escolher o método de abordagem para sua pesquisa é conhecendo todos os métodos. Só assim, você vai conseguir definir com clareza.

Então, vamos aos tipos de métodos de abordagem.

Método experimental

Utiliza-se o método experimental principalmente nas ciências exatas e ciências da terra.

Em linhas gerais, é um método de abordagem que submete o objeto de estudo à influência de variáveis controladas para analisar o impacto dessas interações.

Em outras palavras, é um conjunto de procedimentos através dos quais um pesquisador realiza uma experimento, a partir da manipulação de diversas variáveis que se relacionam ao objeto de estudo.

Para que, ao final, se conclua sobre a interação dessas variáveis ao objeto e, por consequência, se produza um novo conhecimento ou atualize e integre conhecimentos que já existiam.

A finalidade do método experimental é testar as hipóteses do pesquisador, para que se possa dizer de que modo ou por quais causas o fenômeno é produzido.

Exemplo do método experimental

e você está estudando um experimento de um pé de feijão e observa os seguintes dados:

O fenômeno é o crescimento do pé de feijão.

Nesse fenômeno você observa a interferência de três fatores: água, sol, algodão e adubo químico.

A ideia é controlar os fatores para identificar qual deles influencia ou anula a ocorrência dos demais fatores.

Sendo assim, analisou-se o seguinte cenário:

  • Água, sol e algodão produzem o crescimento do pé de feijão.
  • Sol, algodão e adubo químico não produzem o crescimento do pé de feijão.
  • Água, sol e adubo químico produzem o crescimento do pé de feijão.

Com base nesses resultados pode-se concluir que precisa ter água para que o pé de feijão cresça. Ou seja: a água é uma condição necessária para que o fenômeno aconteça.

Se removermos todos os demais fatores e, mesmo assim, o pé de feijão continuar crescendo, pode-se dizer que a água é suficiente para que o pé de feijão cresça.

Método dialético

O método dialético é um método de abordagem que tem como características centrais o uso da discussão, da argumentação e da provocação.

Usa-se esse método nas pesquisas sociais, com o objetivo de interpretar, de forma qualitativa, alguns fenômenos sociais, através de seus princípios, leis e categorias de análise.

O método dialético requer o estudo da realidade em movimento. Ou seja: o método analisa partes da realidade em constante relação com a totalidade.

Para a execução do método dialético o primeiro passo deve ser definir uma tese considerada uma provável verdade. Na sequência, teremos uma antítese que vai negar a primeira tese apresentada. No embate resultante entre a tese e antítese surge a síntese.

Essa síntese pode originar outra tese e recomeçar o ciclo. Esse ciclo acontecerá até que não seja mais possível contestar a tese.

Método dialético

Exemplo de método dialético

Tese

A contaminação da água do rio acontece por falta de coleta e tratamento de esgoto sanitário.

Antítese

A contaminação da água do rio acontece por causa de descartes irregulares de resíduos sólidos.

Síntese

A contaminação da água do rio acontece por falta de coleta e tratamento de esgoto sanitário e por causa de descartes irregulares de resíduos sólidos.

Método dedutivo

O método dedutivo é um dos métodos mais populares. René Descartes (1596-1650) propôs o método dedutivo, a partir da matemática e de suas regras de evidência, análise, síntese e enumeração.

Em linhas gerais, é um tipo de método de abordagem que, parte de uma generalização para uma questão particularizada.

Ou, em outras palavras, é o método que utiliza o raciocínio lógico para chegar a conclusões mais particulares, a partir de princípios e preposições gerais.

Consiste, portanto, na extração de uma conclusão particular, a partir de uma verdade geral.

Exemplo de método dedutivo

Premissa maior: A Lei de Licitações se aplica em todo Brasil.

Premissa menor: O Acre é um Estado do Brasil.

Conclusão: Logo, a Lei de Licitações se aplica no Acre.

No exemplo, as duas premissas são verdadeiras, portanto, a conclusão é verdadeira.

Deve-se partir de princípios reconhecidos como verdadeiros e indiscutíveis, possibilitando chegar a conclusões de maneira puramente formal, em virtude de sua lógica.

Método indutivo

O outro método bastante popular é o método indutivo.

o método indutivo é o método de abordagem responsável por fazer generalização. Isto é, parte-se de algo particular para uma questão mais ampla, ou seja, um aspecto geral.

O objetivo desse método é, em outras palavras, chegar em conclusões mais amplas do que o conteúdo das premissas nas quais está se fundamentando.

Então, é o raciocínio que se faz ao considerar um número suficiente de casos particulares para concluir uma verdade geral.

Exemplo de método indutivo

Observação 1: Cobre conduz energia.

Observação 2: Zinco conduz energia.

Observação 3: Cobalto conduz energia.

Observação 4: Ora, cobre, zinco e cobalto são metais.

Conclusão: Logo, todos os metais conduzem energia.

A partir da observação, é possível formular uma hipótese que explica a causa do fenômeno.

Portanto, por meio da indução chega-se a conclusões que são apenas prováveis.

Método científico hipotético-dedutivo

Por fim, outro método bastante comum é o hipotético-dedutivo, foi definido por Karl Popper, a partir de suas críticas ao método indutivo.

A crítica de Popper ao método indutivo consistia, de forma breve, na problematização do salto indutivo, que generaliza conclusões de alguns para todos. Nas ideias de Popper, esse salto exigiria que a observação de fatos fosse infinita – para atingir a todos -, o que nunca poderia ocorrer.

A ideia central desse método é bastante simples: em resumo, consiste na eleição de proposições hipotéticas, que possuem certa viabilidade, para responder a um problema – ou uma lacuna – do conhecimento científico.

Em seguida, passa-se aos testes de falseabilidade das hipóteses, com o objetivo de comprovar as hipóteses. Caso as hipóteses sejam refutadas, deve-se substituí-las e refazê-las. E iniciar o ciclo mais uma vez.

Quer dizer, somente quando puder se comprovar as hipóteses é que se deve encerrar o método.

Então, a partir dos testes, o pesquisador deve tentar demonstrar que as hipóteses não se confirmam e que apresentam falhas. Ou melhor, que não é a melhor resposta para responder ao problema de pesquisa.

hipotetico dedutivo
Método hipotético-dedutivo

Exemplo de método hipotético-dedutivo

O contexto do problema da pesquisa é um rio em que os peixes estão morrendo. Nenhuma teoria disponível dá conta de explicar a mortalidade desses peixes.

Quer dizer, o problema da pesquisa é: Por que os peixes desse rio estão morrendo?

A primeira hipótese da causa de mortalidade desses peixes é a presença de uma planta aquática específica.

Então, o teste dessa hipótese consistirá na remoção de todas essas plantas aquáticas, mantendo-se todas as outras condições intactas.

Se a hipótese for confirmada, a mortalidade dos peixes vai diminuir. Se a mortalidade dos peixes se mantiver, conclui-se que a hipótese é falsa e insuficiente para se chegar em uma conclusão.

Método fenomenológico

O método fenomenológico foi proposto pelo filósofo alemão Edmund Husserl, como uma crítica ao método indutivo e ao método dedutivo.

O objetivo central da teoria de Husserl é propor um método para analisar os fenômenos, a partir da consciência e da intenção, com o objetivo de compreender as coisas em si mesmo.

Então, a finalidade do método é entender a relação entre o fenômeno e a essência do objeto. Quer dizer, entender a essência do fenômeno.

Ou, em outras palavras, as coisas como elas realmente são e como se manifestam aos sentidos. Não explica os fenômenos a partir de leis, nem deduz informações a partir de princípios. Simplesmente considera o que está de imediato na consciência: o fenômeno.

Diferença CENTRAL entre método dedutivo e método indutivo

É comum os estudantes confundirem a definição de método indutivo e método dedutivo. Mas a distinção é bastante simples.

Existem três diferenças básicas entre o método dedutivo e o método indutivo.

A primeira diferença é que o indutivo, ao contrário do método dedutivo, parte de uma premissa menor para uma maior. Então, usa-se o método indutivo para construir premissas genéricas e gerais.

A segunda diferença é que no método indutivo a conclusão traz ideias que não estavam presentes nas premissas, enquanto no método dedutivo todas as informações já estão, mesmo que indiretamente, previstas nas premissas.

Além do mais, em terceiro lugar, se todas as premissas são verdadeiras, no método dedutivo, a conclusão também será verdadeira. No método indutivo, no entanto, se todas as premissas são verdadeiras, a premissa provavelmente será verdadeira, mas não é necessariamente verdadeira.

Nota-se que o método dedutivo possibilita que o pesquisador caminhe do conhecido para o desconhecido com maior segurança e uma margem menor de erro. Contudo, é um método que se limita às premissas. Quer dizer, as conclusões jamais poderão ultrapassar o que estabelecem as premissas.

Diferença entre método dedutivo e indutivo
Diferenças entre método dedutivo e indutivo

Etapas da pesquisa utilizando método científico

Normalmente, mas não necessariamente, a utilização do método de abordagem segue algumas etapas básicas que orientam o planejamento da pesquisa científica.

Uma ordem lógica comum pode ser representada desta forma: observação > elaboração do problema > levantamento de hipóteses > experimentação > análise de resultados > conclusão.

Vamos esclarecer, em linhas gerais, o que cada uma das etapas do método de abordagem representa.

Observação

Na observação, aplica-se os sentidos a um objeto, acontecimento ou fenômeno, de modo a estudá-lo da forma como se apresenta na realidade, na natureza.

Assim, um pesquisador pode observar, por exemplo, que “as crianças de hoje não estão assistindo mais aos canais abertos de tevê”, ou então que “um tipo de soja X não está mais se desenvolvendo em uma região Y”.

Elaboração do problema

A partir desse olhar cuidadoso, inicia-se a elaboração do problema.

A elaboração do problema é a etapa do método em que o pesquisador organiza questões sobre o tema de pesquisa.

Por exemplo:

  • “Por que as crianças não estão mais assistindo à tevê aberta?”;
  • “Quais fatores originaram esse fenômeno?”;
  • “Qual é a importância desse fenômeno para as futuras gerações?”.

Levantamento de hipótese

Para tentar responder às perguntas do problema, o pesquisador passa a trabalhar na etapa de levantamento das hipóteses. Para isso, utiliza-se conhecimentos prévios para supor respostas plausíveis aos questionamentos.

Por isso, essa etapa exige total cuidado do pesquisador, pois hipóteses mal elaboradas irão comprometer a etapa seguinte.

Experimentação

Nesta etapa, as energias são todas direcionadas à pesquisa bibliográfica e aos experimentos que deverão confirmar ou refutar as hipóteses levantadas.

Portanto, unindo teoria e prática, é necessário tentar encontrar respostas a cada questionamento.

Análise de resultados

Na sequência, chega o momento de analisar os seus resultados.

Nesta etapa, é preciso checar se o que foi reunido é suficiente para explicar cada um dos problemas, de acordo com as hipóteses iniciais.

Também deve-se decidir se haverá a necessidade de levantamento de novas hipóteses, que irão desencadear mais pesquisa e mais experimentação. Ou se, por outro lado, há resultados satisfatórios e suficientes para se chegar à conclusão.

Conclusão

Finalmente, a partir de tudo o que foi pesquisado e analisado, é nesta etapa do método científico que o pesquisador faz as afirmações sobre o objeto ou fenômeno.

Por isso, essas afirmações são chamadas de teorias.

Mias adiante, quando diferentes hipóteses e diferentes experimentos trazem sempre um mesmo resultado, passa-se a considerar como verdades científicas.

Infográfico método científico
Método de abordagem

Formatação automática nas normas da ABNT

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o método de abordagem, que tal começar a aplicá-lo?

Contudo, lembre-se de que, seja qual for o tipo de trabalho acadêmico, além de seguir o método com rigor, ele também deve obedecer às normas da ABNT.

Nisso nós podemos te ajudar. Se você ainda não conhece o Mettzer, esse é o melhor momento 🙂

O Mettzer é um editor de textos que formata, de forma automática, todos os trabalhos acadêmicos nas normas da ABNT.

Basta inserir os dados de sua pesquisa e pronto! O seu trabalho já vai estar formatado nas normas da ABNT.

Faça um teste gratuito por 7 dias e descubra como a tecnologia pode te ajudar!

Faça todos os trabalhos acadêmicos
sem dor de cabeça

Das anotações de aula até a tese de doutorado.

O que você achou disso?

Mande corações

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.