Método hipotético-dedutivo: um guia sobre esse método de abordagem

|
Tempo médio de leitura: 5 minutos
()

O método hipotético-dedutivo é um método de abordagem que submete as hipóteses a constantes testes de falseabilidade.


Você precisa aplicar o método hipotético-dedutivo e ainda não sabe como fazer? Então, está no lugar certo.

Esse é um guia sobre esse método de abordagem. A melhor forma de saber se ele se adequa à sua pesquisa é conhecer melhor sobre seus conceitos.

Então, vamos lá, mãos à obra!

Se no final do post, você ainda tiver alguma dúvida, não deixe de me escrever, ok? 🙂

O QUE É O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO?

Para entender o que é o método hipotético-dedutivo, você deve saber o que é um método de abordagem na ponta da língua.

Se você não sabe o que é um método de abordagem, não tem problema. Você pode ler nosso post só sobre isso 🙂

Se você já sabe esse conceito, vamos ao próximo passo.

Em linhas gerais, o método hipotético-dedutivo é um método de abordagem, que Karl. R. Popper desenvolveu no livro A lógica da investigação científica, como uma crítica radical ao método indutivo.

A ideia central desse método é bastante simples: em resumo, consiste na eleição de proposições hipotéticas, que possuem certa viabilidade, para responder a um problema – ou uma lacuna – do conhecimento científico.

Em seguida, passa-se aos testes de falseabilidade das hipóteses, com o objetivo de comprovar as hipóteses. Caso as hipóteses sejam refutadas, deve-se substituí-las e refazê-las. E iniciar o ciclo mais uma vez.

Quer dizer, somente quando puder se comprovar as hipóteses é que se deve encerrar o método.

Então, a partir dos testes, o pesquisador deve tentar demonstrar que as hipóteses não se confirmam e que apresentam falhas. Ou melhor, que não é a melhor resposta para responder ao problema de pesquisa.

Por que esse método também é dedutivo?

Por essa razão é que se diz que o método hipotético-dedutivo é a união do método dedutivo ao processo de formular hipóteses e experimentá-las.

Já que esse método acrescenta a racionalização do método dedutivo (quer dizer, parte de termos gerais para termos específicos) à experimentação e tentativa de falseabilidade.

A parte dedutiva desse processo é justamente chegar à conclusão de que as hipóteses confirmadas se naquela situação específica se aplicam aos casos em gerais. As hipóteses que sobreviverem aos testes, portanto, se aplicam a todos os casos daquela situação específica.

Objetivo do método hipotético-dedutivo

O objetivo desse método é, portanto, combater o erro e pensar em evitá-lo, muito mais do que buscar uma verdade científica. Já que, enquanto houver garantias de que o método elimina sucessivamente o erro, é uma justificativa suficiente para usá-lo.

Em outras palavras, o que Popper propõe é manter a postura do pesquisador em permanente crítica.

Crítica de Popper ao método indutivo

A ideia central da crítica de Popper ao método indutivo consistia na problematização do salto indutivo, que generaliza conclusões de alguns para todos. Nas ideias de Popper, esse salto exigiria que a observação de fatos fosse infinita – para atingir a todos -, o que nunca poderia ocorrer.

Sendo assim, Popper propõe uma atitude crítica e racional, a partir da construção de hipóteses que devem se submeter aos testes. Além do mais, defendia a permanência da publicidade e discussões para construir críticas e confrontar fatos.

Tudo isso para que, ao final, se verificar quais as hipóteses que sobrevivem como mais aptas à resolução das questões problemáticas.

Então, a principal distinção entre esses dois métodos é que o método hipotético-dedutivo não se limita à generalização empírica das observações.

O conceito de verossimilhança

Então, nas concepções de Popper, o conhecimento científico não compreende uma verdade absoluta. Visto que a ciência trabalha na esfera da probabilidade, não da verdade.

Isso quer dizer que uma teoria científica pode fornecer apenas soluções temporárias para os problemas. Assim que uma nova teoria responder melhor ao problema ou, então, se o contexto do problema mudar, a primeira teoria vai ser refutada.

Um bom exemplo dessa questão são as decisões jurídicas. Você pode perceber que as decisões mudam cotidianamente. Isso porque, assim que o contexto mudar ou se encontrar uma solução melhor, a decisão vai acompanhar.

Ou seja: o conhecimento científico não tem valor de verdade universal, mas de verossimilhança. O que significa que, a todo tempo, a hipótese pode ser novamente testada e refutada. Então, a conclusão nunca é absoluta. É apenas uma conclusão que ainda não foi falseada.

COMO FAZER O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO

É possível entender o processo do método hipotético-dedutivo a partir de quatro etapas principais. Vamos estudá-las.

Identificação do problema de pesquisa

Quando as teorias disponíveis sobre um assunto específico são insuficientes para explicar o fenômeno, surge uma lacuna no conhecimento científico. A partir dessa lacuna, surge um novo problema de pesquisa.

Formulação de hipóteses

Para tentar explicar o fenômeno ou responder ao problema de pesquisa, pode-se criar hipóteses. As hipóteses são afirmações provisórias, que devem ser submetidas aos testes de falseabilidade.

Refutação de hipóteses

Em seguida, deve-se submeter a hipótese aos testes. Falsear uma hipótese significa tornar falsa as consequências que se deduz dela.

No método hipotético-dedutivo, procura-se testar as hipóteses através de evidências empíricas.

Conclusão do método hipotético-dedutivo

A partir dos testes, as hipóteses podem ser validadas ou refutadas. Se for rejeitada, a hipótese deverá ser reformulada e novamente submetida aos testes. Quanto maior o número de testes da hipótese, mais forte serão seus argumentos.

hipotetico dedutivo
Método hipotético-dedutivo

Exemplo

O contexto do problema da pesquisa é um rio em que os peixes estão morrendo. Nenhuma teoria disponível dá conta de explicar a mortalidade desses peixes.

Quer dizer, o problema da pesquisa é: Por que os peixes desse rio estão morrendo?

A primeira hipótese da causa de mortalidade desses peixes é a presença de uma planta aquática específica.

Então, o teste dessa hipótese consistirá na remoção de todas essas plantas aquáticas, mantendo-se todas as outras condições intactas.

Se a hipótese for confirmada, a mortalidade dos peixes vai diminuir. Se a mortalidade dos peixes se mantiver, conclui-se que a hipótese é falsa e insuficiente para se chegar em uma conclusão.

Formatação automática nas normas da ABNT

Ufa! Agora que você já sabe um pouco mais sobre o método hipotético-indutivo, que tal pensar em aplicá-lo?

Contudo, lembre-se de que, seja qual for o tipo de trabalho acadêmico, além de seguir o método científico com rigor, ele também deve obedecer às normas da ABNT.

Nisso nós podemos te ajudar. O Mettzer é um editor de textos que formata, de forma automática, todos os trabalhos acadêmicos nas normas da ABNT.

Apresentação Geral - Mettzer

Ou seja, toda formatação é feita de forma automática e você vai poder se dedicar só ao que realmente importa, que é o desenvolvimento da sua pesquisa.

Faça um teste gratuito por 7 dias e descubra como a tecnologia pode te ajudar!

O que você achou disso?

Mande corações

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.