Pesquisa documental: conceito, exemplos e passo a passo

Compartilhe esse post:
Tempo médio de leitura: 5 minutos

A pesquisa documental recorre a fontes diversificadas e dispersas, sem tratamento analítico, e, junto com a pesquisa bibliográfica é bastante utilizada na pesquisa científica.


Pesquisa documental: conceitos e definições

A pesquisa documental recorre a fontes mais diversificadas e dispersas, sem tratamento analítico, tais como: tabelas estatísticas, jornais, revistas, relatórios, documentos oficiais, cartas, filmes, fotografias, pinturas, tapeçarias, relatórios de empresas, vídeos de programas de televisão, etc. (FONSECA, 2002, p. 32).

A pesquisa documental é um tipo de pesquisa que utiliza fontes primárias, isto é, dados e informações que ainda não foram tratados científica ou analiticamente.

A pesquisa documental tem objetivos específicos e pode ser um rico complemento à pesquisa bibliográfica.

Os documentos analisados podem ser atuais ou antigos, e podem ser usados para contextualização histórica, cultural, social e econômica de um lugar ou grupo de pessoas, em determinado momento da história. Por essa razão, é um tipo de pesquisa bastante utilizado nas ciências sociais e humanas.

Além disso, permite fazer análises qualitativas sobre determinado fenômeno, mas também é possível fazer análises quantitativas, quando se analisam bancos de dados com informações numéricas, por exemplo.

Diferença entre pesquisa documental e bibliográfica

A pesquisa documental trilha os mesmos caminhos da pesquisa bibliográfica, não sendo fácil por vezes distingui-las.

A pesquisa bibliográfica utiliza fontes constituídas por material já elaborado, constituído basicamente por livros e artigos científicos localizados em bibliotecas.

Enquanto a pesquisa documental utiliza fontes primárias, ou seja, dados e informações que ainda não foram tratados científica ou analiticamente.

Diferença entre a pesquisa documental e outras pesquisas

Além de conhecer em profundidade a pesquisa documental, é legal ver um pouco sobre outros tipos de pesquisa que podem, facilmente, serem confundidos.

A mais comum de se confundir é a bibliográfica, entretanto, as pesquisas experimental, exploratória, descritiva e explicativa também podem criar dúvidas.

Pesquisa experimental

Em primeiro lugar, na pesquisa experimental se determina um objeto de estudo, e é uma classificação quanto ao procedimento.

Conforme Gil (2007), a pesquisa experimental objetiva selecionar as variáveis que seriam capazes de influenciar o objeto.

Pesquisa exploratória

Já, a pesquisa exploratória objetiva proporcionar maior familiaridade com um problema e é uma classificação quanto aos objetivos.

Para tanto, envolve levantamento bibliográfico, entrevistas com pessoas que tiveram experiências práticas com o problema, além da análise de exemplos.

Pesquisa descritiva

Por sua vez, a pesquisa descritiva objetiva caracterizar certo fenômeno, como, por exemplo descrever as características de certa população e também é uma classificação quanto aos objetivos.

Pesquisa explicativa

A pesquisa explicativa, visa identificar os fatores que determinam fenômenos e explica o porquê das coisas, e pode, segundo Gil (2007, p. 43), ser a continuação de outra descritiva, posto que a identificação de fatores que determinam um fenômeno exige que este esteja suficientemente descrito e detalhado.

Etapas da pesquisa documental

Fundamentalmente, são necessárias três etapas para a realização de uma boa pesquisa documental, quais sejam: a pré-análise, a organização do material e análise dos dados coletados, veja:

1. Pré-análise

Primeiramente, na fase de pré-análise, o pesquisador definirá quais são os objetivos da pesquisa documental, ou seja, quais perguntas pretende responder a partir da análise dos dados.

Neste sentido, é possível nessa etapa elaborar hipóteses a serem confirmadas ou descartadas ao longo da pesquisa.

Algumas das principais ações principais desta análise são: traçar objetivos, elaborar o plano de trabalho, identificar fontes de dados e formular hipóteses a serem confirmadas ou rejeitadas ao final do trabalho.

2. Organização do Material

Essa fase visa facilitar a interpretação dos dados, em especial, quando o volume de informações for alto.

Nesse momento, é interessante definir categorias que sejam pertinentes aos objetivos do trabalho e até mesmo criar fichas documentais para registrar as constatações sobre cada material analisado.

Para tanto, deve-se pensar em:

  • Colher a bibliografia para análise: classificação e numeração de cada unidade de acordo com os critérios definidos no projeto
  • Fichamentos para reunir informações sobre o documento, como o conteúdo relevante e onde poderá ser encontrado

3. Tratamento dos dados

Ao final da pesquisa, já com as fontes organizadas e classificadas, é o momento de fazer a análise das informações.

Neste sentido, as interpretações dos dados irão confirmar ou rejeitar as hipóteses definidas e contribuir para a solução do problema de pesquisa.

Assim, deve-se analisar cada um dos materiais, fazer inferências comparando com informações comprovadamente verdadeiras para realizar a interpretação das análises e extrair conclusões de forma lógica.

Exemplo de pesquisa documental

Por exemplo, caso você queira descobrir uma relação entre os estudantes maior nota no TCC de um curso.

Seguindo essa linha, você poderá utilizar a ata das bancas de defesa, o histórico e a monografia ou TCC como fontes para seu trabalho.

Esse tipo de pesquisa é facilitada porquanto não tem a necessidade de trabalhar diretamente com os/as estudantes.

Basicamente, você precisará destes documentos para chegar à uma suposição e trabalhar nela.

As fontes de pesquisa documental

Para a pesquisa documental podem ser utilizadas diversas fontes de pesquisa, já que, como vimos acima, a sua principal característica é o uso de materiais ainda não analisados criticamente.

Assim, a utilização de fontes pode ir desde tabelas e documentos formais a cartas, pareceres técnicos, fotos, atas de reuniões, relatórios variados e obras originais de qualquer tipo (pintura, escultura, etc).

Ademais, as fonte de pesquisa documental podem ser tanto ser na forma escrita, como não escrita, tais como:

Documentação impressa

Os materiais impressos podem ser livros, jornais, diretórios, teses, projetos de pesquisa, impressões de arquivos estatísticos, etc.

Outros exemplos de fontes são: depoimentos escritos, certidões, correspondência pessoal, correspondência comercial, documentos informativos arquivados em repartições públicas, documentos e materiais de associações, materiais e documentos de igrejas, documentos oriundos de hospitais.

Além de mapas, testamentos, inventários, informativos, notas, diários, projetos de lei e ofícios.

Documentação eletrônica

Nesta classificação estão todos os materiais que podem ser encontrados de forma online ou eletrônica, como livros, revistas especializadas ou artigos publicados em formato digital. Nesses casos não esqueça de fazer a referência dos sites usados em sua pesquisa.

Documentação gráfica

Já, a documentação gráfica é o tipo de material que fornece informações, como mapas, planos, fotografias etc.

Documentação audiovisual

Outra classificação de fontes são os vídeos e áudios que contêm informações sobre entrevistas, apresentações, conferências, etc.

Além daqueles, também são os filmes, vídeos, fotografias, discursos e depoimentos orais.

Materiais diversos

Tendo em vista que a pesquisa documental abarca uma série bem ampla de fontes, outras categorias de documentos e materiais diversos, também são aptos como fontes desse tipo de pesquisa.

Formatação automática de pesquisa documental

Ao final da pesquisa documental, deve-se pensar em algum tipo de trabalho para publicizar os seus resultados.

E assim, sua pesquisa deverá estar de acordo com as normas da ABNT, por isso o Mettzer, é o editor que dá a garantia da entrega de uma pesquisa inteiramente de acordo com o que é exigido pelas normas.

Acesse e descubra como é fácil usar esse editor revolucionário que formata automaticamente qualquer trabalho nas normas da ABNT.

Referências

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

Resumo
Artigo
Pesquisa documental: conceito, exemplos e passo a passo
Descrição
A pesquisa documental utiliza fontes diversificadas sem tratamento analítico, e é bastante utilizada na pesquisa científica. Confira.
Autor
Publicador
Mettzer

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.