Pós-graduação Stricto Sensu: saiba tudo sobre Mestrado e Doutorado

Compartilhe esse post:
Tempo médio de leitura: 7 minutos

Cursos de pós-graduação Stricto Sensu são cursos “em sentido estrito”, ou seja, o objeto de pesquisa deve envolver a formulação de um problema inédito, por isso, a diplomação também será focada em algum aspecto específico da área.


O que significa Stricto Sensu?

Stricto sensu é uma expressão latina que significa “em sentido estrito”.

Assim, é utilizada para referir que determinada interpretação deve ser compreendida no seu sentido estrito. 

Além da classificação da pós-graduação, ela também pode ser utilizada em outros idiomas, além de áreas de estudo específicas como Biologia, Direito, Linguística, Semiótica, dentre outras.

No Brasil, as expressões latinas “lato sensu” e “stricto sensu” foram introduzida no sistema de ensino para distinguir os cursos de pós-graduação de menor ou maior  nível.

A pós-graduação Stricto Sensu e a educação superior

Segundo o artigo 44 da Lei de Diretrizes e Bases – Lei 9394/96, a educação superior abrangerá os seguintes cursos e programas:

I – cursos sequenciais por campo de saber, de diferentes níveis de

abrangência, abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos pelas instituições de ensino;

II – de graduação, abertos a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente e tenham sido classificados em processo seletivo;

III – de pós-graduação, compreendendo programas de mestrado e doutorado, cursos de especialização, aperfeiçoamento e outros, abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino;

Neste sentido, os cursos de pós-graduação stricto sensu compreendem programas de mestrado e doutorado sujeitos ao reconhecimento e autorização do MEC.

Por isso, são cursos mais demorados, podendo variar de dois a cinco anos, e envolvem a formulação de um problema inédito que deve ser desenvolvido no sentido particular e específico de uma teoria.

Ao final do curso o aluno recebe um diploma com o título acadêmico de mestre ou de doutor.

Por que a diferença?

A diferença no emprego das duas expressões deve-se à tentativa de categorizar processos de amadurecimento científico por intermédio de cursos de pós-graduação.

Neste sentido, a capacidade de aplicar métodos rigorosos de pesquisa para solucionar ou estudar problemas inéditos aumenta com a experimentação ativa e a convivência dos alunos com a comunidade acadêmica. 

Sendo assim, as cargas horárias estabelecidas para a atividade de pesquisa e para a produção da monografia de conclusão de curso restringem ou amplificam as expectativas de capacitação em métodos de pesquisa científica.

Cursos lato sensu e stricto sensu no Brasil

Estas classificações são usadas exclusivamente no Brasil. No contexto educacional europeu e estadunidense, por exemplo, não são usadas tais classificações.

No Brasil, o termo “mestrado” é usado indiscriminadamente, fato que gera as atuais distorções no reconhecimento de formações como master of business administration (MBA) concluídas fora do Brasil.

O grau de mestrado, nomeadamente em Portugal e na maioria dos países da União Europeia, a partir do processo de Bolonha, é dado após o segundo ciclo de estudos, ou seja, após concluído o primeiro ciclo (licenciatura) de cinco anos e um segundo, normalmente de dois anos (mestrado).

stricto sensu e lato sensu

Lato Sensu

Lato sensu é também uma expressão latina que significa “em sentido lato”. É interpretada de forma oposta a “stricto sensu” porque deve ser compreendida no sentido mais abrangente e amplo de algo.

Ao contrário da pós-graduação “stricto sensu”, ao final do curso o aluno recebe um certificado de conclusão do curso, e não um diploma.

Surgimento do lato sensu

Historicamente, da mesma forma que o ensino técnico foi uma alternativa de rápida inclusão de profissionais em diversos ramos do mercado de trabalho (como contabilidade, enfermagem e outros), o objetivo inicial do ensino lato sensu foi acelerar a formação de profissionais no nível de pós-graduação.

Esse modelo foi iniciado por políticas educacionais de aceleração de formação que atualmente são desnecessárias em virtude da capilaridade das instituições de ensino capacitadas a fornecer graus de mestrado e doutorado.

Exemplos de pós-graduação stricto sensu

Além de entender conceitualmente o que são pós-graduações lato e stricto, organizamos abaixo as principais informações sobre os tipos de pós-graduação stricto sensu e seus trabalhos finais de conclusão.

Pós-graduação Stricto Sensu: Mestrado

O Mestrado é o primeiro nível de um curso de pós-graduação stricto sensu.

Além de possibilitar uma formação mais profunda também forma pesquisadores em áreas específicas do conhecimento.

A dissertação é um trabalho acadêmico para obtenção do grau acadêmico de mestre, para tanto, deve-se demonstrar a habilidade em realizar estudos científicos e em seguir linhas mestras na área de formação escolhida.

Alguns programas oferecem a possibilidade de mestrado profissional ou acadêmico.

Pós-graduação Stricto Sensu: Doutorado

O grau acadêmico de doutor e doutora é o mais elevado dos sistemas de ensino superior.

Busca comprovar a capacidade de desenvolver investigação num determinado campo da ciência.

A tese é um trabalho acadêmico Stricto sensu que importa em contribuição inédita para o conhecimento. Para tanto, deve-se defender uma ideia, um método, uma descoberta, uma conclusão obtida a partir de uma profunda pesquisa e trabalho científicos.

Pós-doutorado

Pós-doutorado ou pós-doutoramento é um estágio de estudos e pesquisas cumprido em uma universidade ou instituição de pesquisa, para aprimorar suas habilidades.

Ao contrário da pós-graduação (especialização stricto sensu, mestrado e doutorado), o estágio pós-doutoral não corresponde a um grau acadêmico.

Mesmo assim, é comum observarmos, atualmente, que grande parte das pessoas que seguem carreira científica, são pós-doutores ou doutoras.

Pós-graduação stricto sensu EAD

Atualmente já é possível encontrar uma série de cursos de pós-graduação stricto sensu no formato EAD (ensino a distância).

Então, o órgão responsável por avaliar e promover a pós-graduação stricto sensu no Brasil é a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), uma fundação do Ministério da Educação (MEC).

Neste sentido, a Capes tem uma área específica para tratar de cursos EAD, a Diretoria de Educação a Distância (DED).

Alguns requisitos, de acordo com o MEC, são que os programas de pós-graduação stricto sensu a distância precisam cumprir o mesmo programa e legislação dos cursos presenciais.

Além disso:

  • A instituição deve ter autorização do MEC para oferecer pós stricto sensu a distância.
  • O curso de pós-graduação stricto sensu EAD precisa ter seu programa de ensino autorizado pela Capes e comprovar a existência de grupo de pesquisa na mesma área de conhecimento.
  • Os cursos devem incluir, obrigatoriamente, atividades e provas presenciais.
  • As bancas de qualificação devem ser presenciais.
  • As defesas de dissertação ou tese devem ser presenciais;
  • A banca examinadora deve incluir pelo menos um professor que não pertença ao quadro da instituição responsável pelo programa.

Diploma de mestrado ou doutorado EAD tem validade?

Um dúvida recorrente é se este tipo de pós-graduação tem a mesma validade que uma presencial, e a resposta é sim.

Os diplomas de doutorado ou mestrado EAD têm a mesma validade que os diplomas de cursos presenciais.

Ou seja, todos valem em território nacional, desde que o curso seja reconhecido pelo MEC.

Confira a listagem dos cursos reconhecidos e recomendados pela Capes no site oficial.

Como ingressar em um curso de pós-graduação Stricto Sensu?

Como você deve ter percebido até agora, a escolha por uma pós-graduação stricto sensu não pode ser feita do dia pra noite.

Pelo contrário, exige uma dedicação e um foco muito maiores por um período que anteceda o processo seletivo, que costuma ser bastante desgastante.

Veja os principais passos a serem realizados ou buscados por alguém que pretenda cursas mestrado ou doutorado.

Graduação

Graduação é o curso de ensino superior e o primeiro nível da formação universitária. Grande parte das atuações profissionais atualmente estão atreladas à graduação, e a carreira acadêmica e científica especialmente.

Os cursos de graduação estão divididos entre bacharelado, licenciatura e superior de tecnologia.

Qualquer uma destas modalidades permite a continuação dos estudos.

Iniciação científica

A iniciação científica é uma iniciativa que visa incluir graduandos e graduandas na vida “científica”. Englobando projetos de pesquisa científica que visam inserir o estudante universitário no universo da pesquisa acadêmica.

Algumas modalidades mais conhecidas de Iniciação Científica que oferecem, na maioria das vezes, bolsas, são o PIBIT, PIBIC e PIBID.

A bolsa é uma remuneração pelo trabalho de pesquisa que você vai gerar, assim como alguns estudantes recebem pelo estágio.

Projetos de extensão universitária

A Extensão Universitária é a ação da Universidade junto à comunidade, possibilitando o compartilhamento do conhecimento adquirido por meio do ensino e da pesquisa desenvolvidos na instituição.

Além de fomentar projetos e programas de extensão que levam em conta os saberes e fazeres populares e garantir valores democráticos de igualdade de direitos, respeito à pessoa e sustentabilidade ambiental e social.

A atuação em projetos desse tipo pode, além de agregar ao seu histórico, demonstrar o seu envolvimento em atividades acadêmicas.

Processo seletivo

O processo seletivo para programas de pós-graduação (PPGs) costuma ser realizado com certa antecedência em relação à data de início das aulas.

Por isso, o ideal é que, durante o ano que preceder a sua possível entrada, você fique atento aos editais da instituição de ensino e do programa.

Todo o processo seletivo é pensando em entender o perfil do candidato ou candidata na pesquisa científica, isso quer dizer que o processo pode ser divido em diversas partes, como, prova escrita, análise de projeto de pesquisa, de publicações e entrevista, a depender, claro, do programa.

Editor de formatação automática nas regras da ABNT

Uma grande verdade é: não se chega a uma pós-graduação sem um bom currículo lattes.

Isto porque o seu currículo será o seu portfólio no processo seletivo. É por meio dele que a banca avaliadora vai entender a sua trajetória acadêmica e se você tem o perfil esperado.

Por isso, é bom ter domínio das técnicas da produção científica, que vão desde a metodologia até os tipos de pesquisa.

E para isso, conte com o Mettzer, o editor que formata automaticamente qualquer trabalho nas normas da ABNT.

Resumo
Artigo
Pós-graduação Stricto Sensu: saiba tudo sobre Mestrado e Doutorado
Descrição
Cursos de pós-graduação Stricto Sensu são cursos “em sentido estrito” cuja diplomação será focada em algum aspecto específico da área. Confira o material!
Autor
Publicador
Mettzer

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.