Você conhece os periódicos científicos?

compartilhe

Chegou a hora de conhecer os periódicos científicos. Eles podem te ajudar (e muito!) a fazer seus trabalhos.


Os livros são a fonte de pesquisa mais segura que existe e Isso não vai mudar. Mas o que se faz quando não é possível ter acesso aos livros que se precisa?

É aí que entram os periódicos científicos. Os periódicos unem duas características que os tornam fundamentais para qualquer estudante: facilidade de acesso e segurança de informações.

Já deu pra perceber que você não pode ficar por fora disso né? Então vem ver 🙂

O que são periódicos científicos?

Bom, antes de mais nada, é importante saber o que significa um periódico científico. Vamos lá.

Os periódicos são publicações eletrônicas com pesquisas científicas. Como o próprio nome sugere, as edições obedecem uma periodicidade. Ou seja: podem ser anuais, semestrais, trimestrais, mensais, enfim. O que importa é que é possível saber quando será a próxima edição.

A ABNT define um periódico científico na NBR 6023 como um “tipo de publicação seriada, que se apresenta sob a forma de revista, boletim, anuário, etc. editada em fascículos com designação numérica e/ou cronológica, em intervalos pré-fixados (periodicidade), por tempo indeterminado“.

Nos periódicos são publicados artigos científicos, resumos, resenhas escritas por pessoas pesquisadoras e professoras. É comum que essas pesquisas tenha sido feitas através de teses, dissertações e até de monografias, com os mais diversos temas.

É entre esse universo de artigos que você pode encontrar a bibliografia perfeita para seu trabalho 🙂

Existe diferença entre periódicos e revistas científicas?

Não. Na verdade, são dois nomes para a mesma coisa. Assim como os periódicos, as revistas científicas são publicações com periodicidade que se dedicam aos conhecimentos científicos.

Para quê os periódicos servem?

Os periódicos são especialmente importantes para quem está na fase de pesquisar fontes de pesquisa para seu referencial teórico. Afinal de contas, eles são ótimas (e seguras!) fontes de consulta para elaborar trabalhos.

Você já deve saber que nenhum trabalho começa do zero, né? Pra construir a sua fundamentação teórica, você precisa partir de ideias de outras pessoas que já escreveram sobre o mesmo tema.

A forma de incorporar ideias de outras pessoas no seu trabalho é através de citações, que são referências às informações extraídas de outros trabalhos, como livros, filmes, sites, artigos. Quer dizer, outras fontes que já escreveram sobre o seu assunto,

Então, são as citações que dão a certificação de que o trabalho possui um embasamento teórico firme e técnico. Ou seja: as citações são uma parte fundamental da tua pesquisa, porque elas garante a confiabilidade e qualidade técnica do trabalho.

É aí que os periódicos têm um papel fundamental.  Já que eles proporcionam acesso gratuito e livre a diversos trabalhos, para você desenvolver sua pesquisa.

Qual é a importância de periódicos para uma pessoa pesquisadora?

Os periódicos são uma ótima opção de fonte de pesquisa e vou te mostrar o porquê:

1. Acessar fontes confiáveis e relevantes

Em primeiro lugar, as informações dos periódicos vêm de pessoas pesquisadoras, que seguem uma estrutura básica e um método científico. Por esse motivo, são fontes de pesquisas de alta qualidade e relevância. Isso é fundamental em um trabalho acadêmico.

Além do mais, muitas das plataformas também disponibilizam a informação de quantas citações cada trabalho recebeu por outros pesquisadores.

É assim que se mede a relevância do artigo para o tema em questão, o que contribui para a credibilidade da fonte. Entende-se que, quanto mais citações a pesquisa receber, mais relevante ela é.

Ao pesquisar por um tema ou por uma palavra-chave, o trabalho que mais recebeu citações aparecerá em primeiro lugar. Esse é um dado bastante importante, porque favorece o reconhecimento de um trabalho científico expressivo para a comunidade acadêmica.

2. É muito fácil de pesquisar

Os periódicos funcionam de forma bastante simples e intuitiva. É bem possível que você não tenha dificuldades de pesquisar e encontre as informações que precisa muito mais rápido.

3. Acesso gratuito e livre

Os periódicos reúnem diversos artigos em um único lugar, de acesso gratuito e livre. Essa é uma alternativa perfeita para solucionar a dificuldade de acesso às bibliotecas e aos livros.

Onde posso encontrar os periódicos?

Pois bem. Mesmo que as informações sobre periódicos pareçam dispersas, existem alguns sites – nacionais e internacionais – que reúnem e disponibilizam todos os tipos de publicações científicas.

Eles funcionam como grandes bibliotecas eletrônicas de periódicos. E são realmente muitos. Vou elencar aqui os melhores conceituados:

1. Portal de Periódicos da CAPES

O Portal de Periódicos da Capes é uma biblioteca virtual que reúne os melhores artigos científicos do mundo. O objetivo principal é disponibilizar para as instituições de ensino e pesquisa do Brasil o acesso às pesquisas científicas.

Quer dizer, o Portal da CAPES nasceu para suprir a falta de acesso das bibliotecas brasileiras às informações científicas internacionais.

O acervo desse Portal conta com mais de 37 mil títulos com textos completos, 126 bases referenciais, 11 bases que se dedicam exclusivamente a patentes, além de livros, enciclopédias e obras de referência, normas técnicas e conteúdo audiovisual.

2. SCieLO

O nome SciELO é uma sigla de Scientific Electronic Library Online. Trata-se de um portal eletrônico cooperativo de periódicos científicos. Ou seja: através da SciELO permite-se o acesso eletrônico aos artigos completos de revistas da Argentina, do Brasil, do Chile, da Colômbia, de Cuba, da Costa Rica, da Venezuela, da Bolívia, do Peru e do Uruguai.

Por esse motivo, considera-se como a principal biblioteca digital da América Latina. Mas também possui acesso aos textos científicos da Espanha, de Portugal e da África do Sul.

A plataforma oferece versões em português, espanhol e inglês, possui acesso livre e gratuito e tem um modelo cooperativo de publicação digital.

Diz-se que a SciELO foi especialmente desenvolvida para responder às necessidades da comunicação científica na América Latina e no Caribe. Isso porque o modelo proporciona uma solução eficiente para assegurar a visibilidade e o acesso universal à produção científica.

3. Google Acadêmico

Imagine uma versão do Google que considera como resultados apenas acervos de revistas acadêmicas, organizações profissionais, repositórios de universidades e de outras entidades acadêmicas.

É assim que funciona o Google Acadêmico. Quer dizer, existe um filtro nos resultados, para que apareçam apenas conhecimentos científicos como resultados.

Além do mais, definem-se as posições nas páginas de resultados conforme o número de citações que cada publicação recebeu. Então, aparecem como resultados apenas artigos científicos que pode-se utilizar como uma fonte de pesquisa confiável em referências bibliográficas dos trabalhos.

4. ERIC

A Educational Resources Information Center – ERIC é uma base de dados do Departamento de Educação dos Estados Unidos, que fornece acesso a diversos conteúdos da área de educação e outros temas similares.

O acesso ao ERIC não é gratuito. Mediante o pagamento de um valor, as pessoas podem acessar diversos artigos de periódicos, anais de congressos, eventos, documentos governamentais, além de teses, dissertações, livros e monografias.

5. Scopus

Scopus também é um banco de dados de resumos e citações de artigos para revistas acadêmicas. Assim como o ERIC, também é disponibilizado apenas para assinantes.

Além das publicações, oferece também os dados bibliográficos de quem escreveu e o número de publicação.

6. BDTD

A sigla BDTD vem de Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. Essa biblioteca integra, em um único portal, os sistemas de informação de teses e dissertações de várias instituições de ensino e pesquisa brasileiras.

O desenvolvimento desse projeto aconteceu pelo IBICT – Instituto Brasileiro de Informação em Ciências e Tecnologia, para estimular o cadastro e a publicação de trabalhos disponíveis no site.

O acesso é a essas publicações podem ser feitas tanto no território nacional quanto internacional. Quer dizer, é uma ótima forma de aumentar a visibilidade de pessoas pesquisadoras brasileiras.

7. PubMed

A PubMed é um base de dados de citações e resumos de artigos científicos em biomedicina. É um oferecimento da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos. De forma geral, tem 4.800 revistas publicadas nos Estados Unidos e em mais de 70 países.

8. Redalyc

O projeto Redalyc – que significa Rede de Revistas Científicas da América Latina e Caribe, Espanha e Portugal – também é uma base de dados de bibliografias e uma biblioteca digital de revistas da Universidade Autónoma do Estado do México, com acesso gratuito.

O intuito do projeto, que começou em 2002, é construir um sistema de informação científico com os principais periódicos de todas as áreas do conhecimento produzidos sobre e na América Latina. Desde seu nascimento, a meta é dar visibilidade à produção científica da Ibero-América.

9. Ulrichsweb

Ulrichsweb é um banco de mais de 300.000 publicações periódicas de todos os tipos. Ela inclui publicações acadêmicas, jornais eletrônicos, revistas, jornais, boletins informativos de mais de 900 áreas temáticas.

Os registros da Ulrich também fornecem dados importantes da publicação, como: ISSN, editora, idioma, resumo e indexação.

Como escolher um periódico para publicar seu trabalho?

Bom, além de consultar artigos, você também pode publicar seu trabalho em um periódico.

Aqui estão 4 dicas de como escolher a revista para publicar o seu:

1. Escolha a partir do tema do artigo

Não é a revista que deve definir o seu tema. Mas ao contrário. Primeiro você deve ter um artigo pronto e depois escolher a revista. Isso pode parecer óbvio. Mas é bastante comum que façam o processo inverso.

Para encontrar a revista perfeita para seu trabalho, você deve, em primeiro lugar, avaliar o escopo dela: qual é o objeto de estudo dos artigos de lá? quais as produções acadêmicas da pessoa editora do periódico? qual é o perfil acadêmico e profissional de quem já publicou lá?

Todas essas perguntas devem fazer parte do seu processo de decisão.

2. Indexadores e Qualis

Depois disso, verifique os indexadores e o Qualis do periódico. Os dois indicadores são importantes para conferir se a revista tem credibilidade e visibilidade.

Mas tome cuidado. Eles não significam a mesma coisa. Os indexadores reúnem um conjunto de títulos de periódicos que passaram por um processo de seleção. Eles fornecem informações importantes dos artigos, com intuito de facilitar localização do material de interesse.

Essas informações, de forma geral, são: autor, título do artigo, título do periódico, ano e local de publicação e número de páginas.

Por outro lado, o Qualis é um conjunto de critérios da CAPES para avaliar e estratificar a qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação. A classificação acontece em categorias A1 até C. Sendo A1 uma revista de maior reputação e C de menor reputação. Isso quer dizer que ter uma boa classificação no Qualis significa ter um bom indicador de qualidade.

Nesse contexto, encontrar uma revista com esses dois elementos é o melhor dos mundos. Mas, no fim, você deve avaliar qual é o objetivo principal da publicação. Se você está procurando visibilidade, é importante publicar em um periódico indexado. Afinal de contas, todas as pessoas que procurarem pelo tema dentro da base de dados podem encontrar seu artigo.

Agora se você quer pontuação pelo seu Currículo Lates, para um processo seletivo de mestrado ou doutorado por exemplo, deve considerar um periódico com um bom Qualis.

3. Prazos

Você já sabe que os periódicos seguem a uma específica periodicidade. Alguns recebem artigos de forma constante. Outras abrem editais para publicação.

Tenha atenção aos prazos de envio e aos prazos das pessoas avaliadoras para que se faça alterações.

4. Formatação do artigo

Os periódicos têm suas regras próprias de formatação. De forma geral, seguem às normas da ABNT. Mas não é raro que apresentem uma ou outra regrinha específica.

É necessário ter bastante atenção nisso, já que é um critério de reprovação do artigo. Normalmente, essas regras estão na seção “diretrizes para autores“.

Formatação automática de trabalhos acadêmicos

Você já deve saber que para que atinja seu objetivo e seja comunicada à sociedade, a pesquisa científica deve ser publicada por meio de artigos científicos, anais, livros, dentre muitos tipos de trabalhos acadêmicos.

Até porque só depois de publicada é que você por inserir o trabalho em seu Currículo Lattes.

Só não se esqueça que, independentemente do tipo de produção – seja um TCC, uma monografiadissertação e até tese, você deve respeitar as normas da ABNT.

Se você seguir as regras de forma certa, seu trabalho vai ficar pronto pra publicar. Mas o tanto de trabalho que dá né?

A boa notícia é que você não precisa passar por isso. Use a tecnologia a seu favor: nós podemos te ajudar 🙂

O Mettzer é o melhor editor de textos do mercado, que formata de forma automatizada qualquer trabalho nas normas ABNT: desde a capa até às referências bibliográficas.

Apresentação Geral - Mettzer

Assim, você ganha tempo e tranquilidade e pode se dedicar exclusivamente à ciência.

Se interessou? Faça um teste gratuito agora mesmo.

compartilhe

1 comentário em “Você conhece os periódicos científicos?”

  1. Sou um estudante de arquitetura e agora, um pesquisador de artigos científicos.
    Esse artigo, que li, aqui, é tudo o que eu precisava para entender sobre as minhas pesquisas!
    Fiquei imensamente grato a vocês.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Teste agora nosso editor que formata trabalhos nas Normas da ABNT e APA

Modelos customizáveis de acordo com sua universidade