Como fazer um paper nas normas da ABNT?

5
(1)

Se você precisa aprender como fazer um paper, chegou no lugar certo.


Aprender a fazer um paper pode ser meio caótico. Ninguém nos explica muito bem como fazer isso na faculdade.

Quando a gente percebe, já tem um prazo para entregar um paper. Aconteceu assim com você?

Mas existem alguns caminhos para facilitar esse percurso. Então, vamos lá.

Esse post inclui:

  1. Todos os detalhes sobre como fazer um paper.
  2. Uma dica para formatar seu paper nas normas da ABNT de forma automática.

Prepara seu café e vem comigo 🙂

O que é um paper?

Vamos por partes. O primeiro passo é entender o que é um paper.

De forma direta, o paper é um pequeno artigo científico. Ou seja: é uma apresentação breve e assertiva de resultados de uma pesquisa sobre um problema específico.

Em linhas gerais, o paper, assim como o artigo científico, é uma publicação que apresenta os resultados de uma pesquisa,

Os temas dos papers podem ser diversos, desde relatos de experiências até construções completamente teóricas.

Deste modo, o objetivo central de um paper é contribuir, divulgar e publicizar os resultados de uma pesquisa.

De forma geral, são publicados em anais de eventos, em Congressos e em revistas científicas ou periódicos, como o Periódico Capes, o Scielo e o Google Acadêmico.

Desenvolva agora seu trabalho usando esse modelo de paper

Deixamos um modelo de paper pronto, basta você desenvolver o conteúdo e está pronta para entregar

Qual é a diferença entre um paper e um artigo?

Essa é uma dúvida bastante recorrente. Um paper não é a mesma coisa do que um artigo científico.

A grande diferença entre o paper e o artigo é, de forma geral, o tamanho e a objetividade. Isso porque o paper é menor e mais objetivo do que o artigo científico.

Qual é a função de um paper?

Ainda que tenhamos a tendência de entender que os livros são fontes de pesquisa mais confiáveis, os papers têm um papel fundamental na difusão da ciência.

Em primeiro lugar, porque o paper é um tipo de trabalho muito importante em termos de conhecimento, já que compreende muitas informações e ideias novas, de uma forma mais dinâmica e assertiva.

Basta pensar que em um livro você vai encontrar a ideia de poucos autores, enquanto um paper traz uma construção com várias bibliografias diferentes.

Além do mais, os papers são utilizados na graduação e na pós-graduação como forma de avaliar estudantes e de medir a produtividade de bolsistas.

Deste modo, aprender a escrever papers ainda na faculdade pode te ajudar a alcançar boas notas nas disciplinas, entender melhor determinado assunto e, posteriormente, pode te garantir vagas em processos seletivos em mestrado e doutorado ou de bolsas de estudo, por exemplo.

Também é um bom caminho para começar na iniciação científica ou até mesmo na produção científica. É uma boa forma de se adaptar aos conceitos e à linguagem científica.

Como fazer um paper?

Agora que você já sabe o que é um paper, vamos aprender como fazê-lo?

Em primeiro lugar, você precisa saber que não há apenas um modelo de paper.

De maneira geral, exige-se apenas que o paper cumpra as regras da ABNT. Mas essa não é uma regra sem exceções.

Inclusive, a própria ABNT não estabelece uma estrutura obrigatória para o paper. Então, cada formato de paper atende aos objetivos e às metodologias específicas da instituição de ensino ou da revista científica.

Então, as regras para papers não vêm necessariamente da ABNT. Assim, é importante que os editais de revistas ou congressos especifiquem quais são as normas para seguir.

Nem mesmo existe um consenso quanto ao tamanho do paper. Há quem diga que, normalmente, são de 6 a 12 páginas. No entanto, algumas pessoas entendem que o paper pode ter de 10 a 15 páginas.

Elementos de um paper

Sendo assim, os elementos necessários de um paper depende bastante de qual será a destinação. Por exemplo, caso você queira apresentar seu paper em um Congresso, deverá observar as orientações e as regras do edital desse evento.

Ainda assim, caso esteja em dúvida de qual estrutura utilizar, preparamos uma lista que pode te ajudar. Veja se os itens fazem sentido para você e para seu trabalho.

As estruturas são importantes porque te lembram de tópicos importantes e indispensáveis no artigo científico. Sem engessar completamente o formato. Então, vamos fazer as pazes com as estruturas? <3

Lembrando que, para a ABNT, não existe uma estrutura obrigatória.

Estrutura de um paper

Aqui vai nossa sugestão de estrutura de paper:

1. Título

Inicialmente, um bom título deve informar de forma clara qual é o tema e o objetivo do paper.

Assim, deve compreender conceitos-chave do tema. Em nota de rodapé, você pode apresentar a finalidade do paper.

Por exemplo: “paper presentado para a matéria X ou para evento Y”.

2. Nome dos autores

Em seguida, deve constar o nome de quem escreveu o paper.

Os nomes de autores(as) devem estar acompanhados de uma nota de rodapé com um breve currículo e endereço de e-mail.

3. Epígrafe (facultativa)

epígrafe é uma frase de uma música ou de um livro, que serve para apresentar o tema ou para situar o contexto e a motivação.

4. Resumo e Abstract

Embora o resumo seja um texto curto, ele tem alguns detalhes em sua construção.

Isto porque, quanto menor o texto, mais difícil é para compreender todas as informações necessárias.

Em linhas gerais, você deve expor o tema, o problema de pesquisa, os objetivos. a metodologia e os resultados alcançados.

O ideal é que, com a simples leitura do resumo, seja possível identificar os pontos centrais da sua pesquisa.

O abstract é a versão em inglês do resumo. Alguns periódicos e instituições de ensino aceitam também em outros idiomas, como o espanhol e o francês.

5. Palavras-chave e Keyword

As palavras devem ser antecedidas da expressão “Palavras-chave:” e separadas entre si por ponto e vírgula (;).

As keywords serão as mesmas palavras-chave, mas em inglês, ou na mesma língua que você tenha optado por escrever o resumo.

As palavras-chave servem para indexar o paper. Isto é, servem como mecanismo de busca por temas científicos.

6. Conteúdo do paper

Nesse ponto, você deve começar, de fato, a escrever sobre o conteúdo do paper.

Introdução

introdução tem o objetivo de situar o leitor no contexto do tema, oferecendo uma visão global da pesquisa.

Além de esclarecer as delimitações e a abordagem do paper, a introdução também compreende os objetivos e as justificativas.

Também é importante destacar, ainda que de maneira breve, a metodologia do trabalho.

A intenção é que a pessoa que está lendo consiga identificar o que você trabalhou, porque e como.

Desenvolvimento textual e apresentação de resultados

O desenvolvimento do paper é toda a parte teórica, que apresenta o referencial teórico sobre o tema e as discussões e construções de ideias.

O desenvolvimento costuma ser subdivido em seções, a depender da necessidade (1., 2., 3).

Aqui, deve-se fazer uma exposição sobre as teorias necessárias para entender e esclarecer o problema.

Neste aspecto, a revisão de literatura visa desenvolver as contribuições teóricas a respeito do tema.

Então, é importante expor os argumentos de forma explicativa ou didática, construindo uma conversa entre as ideias dos autores das fontes de pesquisa.

Você deve demonstrar conhecimento da literatura básica e do assunto central.

No caso de pesquisa descritiva, devem-se apresentar os resultados encontrados na coleta dos dados através das entrevistas, observações, questionários, entre outras técnicas.

Conclusão do paper

Ao final, deve-se apresentar as conclusões e as descobertas da pesquisa, de forma clara e objetiva.

Você também pode retomar algum resultado ou alguma discussão.

Assim, deve-se relacionar diversas ideias e argumentos os principais resultados em forma de síntese, com comentários adicionais e as contribuições da pesquisa.

Tenha em mente que a conclusão é um fechamento. Então, não se deve inserir novos dados e informações que já não tenham sido apresentados anteriormente.

7. Referências bibliográficas do paper

Ao final, não se pode esquecer a lista de referências bibliográficas.

As referências servem para identificar as fontes de pesquisa – livros, textos, artigos – que foram utilizados no trabalho, a partir das citações.

As citações garante a cientificidade e a qualidade técnica da pesquisa.

Mas, cuidado, se as citações e as referências não forem feitas de forma correta, pode caracterizar plágio.

Veja alguns exemplos:

referências-bibliográficas
Modelos de referências bibliográficas

Como fazer um bom paper?

Aqui vão nossas dicas para fazer um bom paper.

Delimite a hipótese

O tema da pesquisa não pode ser amplo. Isso abre brecha para questionamentos sobre a qualidade do trabalho.

Escolha o tipo de pesquisa

Para saber qual é o tipo de pesquisa mais adequado, deve-se levar em consideração o objetivo da pesquisa, a abordagem e as características do tema.

Se preocupe com a estrutura do paper

A estrutura do paper deve seguir às normas do local de publicação. De forma geral, a estrutura depende do tipo da pesquisa e do estudo.

Consulte as normas da ABNT

Consulte as normas da ABNT, caso o local de publicação as utilize como padrão. Casos especifiquem outras normas, não deixe de segui-las.

Escreva de forma assertiva e objetiva

Escreva e se comunique de forma clara.

Evite erros de gramática

Faça diversas revisões gramaticais. Elimine os erros de digitação.

Conheça o local que deseja publicar

Você deve conhecer a revista, o periódico ou o evento que deseja publicar. Cada local possui sua especificidade e suas normas.

Leia materiais sobre o tema que vai escrever

Conheça as discussões atualizadas sobre o tema que vai escrever. Lembre-se que você deve conhecer profundamente o assunto.

Divulgue apenas dados verdadeiros

Todos os dados devem ser devidamente comprovados e justificados. Nada de inventar análises e dados mirabolantes.

Tenha atenção ao plágio

É fundamental tomar todos os cuidados necessários para evitar o cometimento de plágio. Faça as citações de forma correta.

Evite utilizar a voz passiva

A voz passiva não é predominante no gênero acadêmico. Portanto, utilize apenas com cuidado.

Normas da ABNT para o paper

Bom, você já sabe que as normas da ABNT não estabelecem uma estrutura obrigatória para o paper.

Isso significa que as normas da ABNT estabelecem apenas o padrão básico de formatação para o paper, assim como os demais trabalhos acadêmicos.

Sendo assim, definem como serão as margens, os espaçamentos, o parágrafo e o tamanho da fonte, conforme a imagem abaixo:

PRINCIPAIS-FORMATACOES
Normas da ABNT para trabalhos acadêmicos

Formatação automática de paper nas normas da ABNT

Enfim, agora você já sabe o que é e como fazer um paper.

Você já percebeu a importância de independentemente do tipo de trabalho – seja um TCC, uma monografia, um artigo, uma dissertação até uma tese de doutorado, formatar o seu trabalho nas normas científicas né?

Você não precisa passar por isso sozinha, ok? Use a tecnologia ao seu favor 🙂

Para te ajudar nisso, conte com a ajuda da Mettzer.

Apresentação Geral - Mettzer

Mettzer tem o melhor editor de texto do mercado, que formata qualquer trabalho nas normas da ABNT e nas normas APA de forma automática: da capa até as referências bibliográficas.

Que tal fazer um teste gratuito por 7 dias? 🙂

O que é um paper?

O paper é um pequeno artigo científico. Ou seja: é uma apresentação breve e assertiva de resultados de uma pesquisa sobre um problema específico

Qual é a diferença entre paper e artigo científico?

A grande diferença entre o paper e o artigo é, de forma geral, o tamanho e a objetividade. Isso porque o paper é menor e mais objetivo do que o artigo científico.

O que você achou disso?

Mande corações

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.